sábado, 10 de maio de 2014

Sexto round - pick #178 - Zach Mettenberger

O QB, vem de LSU. O Titans mandaram os picks #186 e #228 para subirem 8 posições e pegarem um QB. Mettenberger teve um grande desenvolvimento do seu jogo ano passado com a chegada de Cam Cameron (reconhecido coordenador ofensivo) à LSU, até que machucou seriamente o joelho, no fim da temporada.

Ken Whisenhunt gosta de QBs que conseguem trabalhar no pocket e Mettenberger possui isto, ele é alto e tem um excelente braço, a alguns dias assisti ao seu vídeo do pro day e o achei com problemas de precisão ele errou uns arremessos, sem marcação que me fizeram pensar, mas isto é treinável.


Novamente, precisávamos de um QB, e Mettenberger era cotado para um segundo round a até pouco tempo, acho que ele pode ser desenvolvido nos próximos dois ou três anos. Bom pick!

Parece que com isto fechamos a nossa participação no draft de 2014.

Go Titans!

Quinto round - pick #151 - Avery Williamson

O ILB, veio da Kentucky University, torcedor do Titans, tem bom tamanho e peso para o SILB, entretanto, acho que lhe falta o instinto matador, aqueles tackles que mostram ao RB e ao TE que existe alguém na defesa e que se voltarem vão sair carregados. ILB era outra necessidade agora suprida.


Eu realmente, não gostei do vídeo, acho que ele é movido facilmente, não se posiciona corretamente, perde tackles que não deveria perder, não é físico ... não vi muito futebol no garoto, mas ILB era uma necessidade.

Go Titans.

Quarto round - pick #122 - Marqueston Huff

O DB, vem de Wyoming University. Bom tackleador, com boa velocidade, é naturalmente um Free Safety, mas atua de (inclusive no Senior Bowl, atuou de) Corner Back e é sólido. Jogou contra times de qualidade duvidosa no College, mas jogou bem.



Novamente o pick bate com uma necessidade (CB) e acho que este pode ser um bom pick.

Go Titans

Quarto round - pick #112 - Daquan Jones

O DT, vindo de Penn State University é bem versátil, jogou em diversas posições em formações 43 ou 34, inclusive nose tackle, é bem forte e agil, tem um primeiro passo razoável, mas não é um cara cujo coordenador ofensivo tenha que planejar contra ou que tenha que ser dobrado a cada jogada, tem muito trabalho a ser feito com ele prá poder jogar. De qualquer forma, DL era uma necessidade, quem sabe os novos técnicos consigam tirar do garoto alguma produção.


Este vídeo o mostra alinhando em 0, 1, 2, 3 e 4 Tech, sendo que em sua maioria ele alinhou em 2, ou seja na frente de um Guard, os técnicos requerem que ele tome conta de dois gaps, ele não se dá bem controlando dois gaps (ou seja jogando contra o guard), ele joga melhor em 1 ou em 3, controlando apenas um gap, acho que pode funcionar com o Titans, mas o garoto requer muito trabalho, muito mesmo! Eu gosto do pick, mas não sei se o escolhido vai virar.

Go Titans!

Segundo round - pick #54 - Bishop Sankey

Você tem que gostar Ruston Webster, é muito melhor que o GM anterior, fez um bom negócio com o Eagles descendo 12 spots (mandamos o pick #42 e recebemos o #54 e o pick #122 [quarto round] em troca).
Precisávamos de um RB (e de mais um pick) e provavelmente nenhum dos concorrentes iriam pegar um, e principalmente aquele do qual eles gostaram, Bishop Sankey - RB - Washington University (mesma do Locker, mas não estiveram por lá no mesmo tempo).
Sankey é um bom running back, tem capacidade para jogar os 3 downs, tem boa velocidade, dificilmente cai no primeiro contato, corre entre os tackles (embora tenda a correr para a lateral - ai meu Deus, de novo não!), tem boa visão, bloqueia bem, participa do jogo aéreo, em suma, um bom RB.


Sankey foi muito produtivo no College e é um meio termo entre Greene e McCluster, acho que o jogo corrido pode voltar ser muito bom este ano. Realmente gostei da escolha.

Go Titans.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Primeiro round - pick #11 - Taylor Lewan

O que eu posso dizer? Depois de esfriar a cabeça e assistir a alguns vídeos, só posso dizer, concordando com o sábio Diego Scorvo, que o pick foi acertado. Lewan é um excelente jogador, forte, com o instinto matador, como o grande Big Country (David Stewart) no início de sua carreira, só que mais compacto e mais rápido. O processo de reconstrução da OL continuou e agora temos profundidade em toda a linha, bem como jogadores jovens na mesmo (Warmack, Schwenke e Lewan), eu gostaria mesmo que ele chegasse e ganhasse a posição, sabemos que a competição está aberta e com isto temos três bons tackles para duas vagas (competição sempre melhora o time).

Com relação aos processos em cima dele, Webster disse que eles abordaram isto em visita e que Lewan esclareceu os fatos. Boatos dizem que Webster recusou uma oferta dos Browns para fazer o trade down por que "Lewan era muito bom para deixar na mesa ..." (eu acho que os caras ofereceram pouco).

Não é um pick sexy, eu não gostei, mas faz sentido ...

Go Titans!

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Predizendo o Draft - 2014

Menos de 12 horas para o draft, nunca foi tão difícil prá mim fazer essa previsão anual, sinceramente. Vamos cruzar os dedos e ver no que vai dar, então, simbora!

Primeiro round: #11 - Anthony Barr (OLB) - O maior problema da defesa do Titans a muito tempo é o pass rush, a secundária fica exposta por que não conseguimos chegar nos QBs rapidamente, não temos um cara que ponha algum tipo de medo nos adversários nas extremidades, então, acho que vamos de Barr. Este garoto é um bom atleta, tem que melhorar contra o jogo corrido, mas pode ser um bom pass rusher. Outras opções: Aaron Donald (minha preferência), um dos QBs que sobrarem (Bortles, Carr ou Bridgewater) ou trade down.  
 
Segundo round: #42 - Jimmy Garopollo (QB) - Precisamos de um QB para ser desenvolvido, e acho que este pode ser um bom. Tem bons movimentos, paciência no pocket, bom braço, opera bem a partir do shotgun, não teve boa competição na universidade, mas mostrou que pode se dar bem com melhores recebedores no Senior Bowl. Outras opções Jeremy Hill (RB), Tre Mason (RB), eu ficaria feliz com qualquer um dos 3.
 
Quarto round: #112 - Ka'Deem Carey (RB) - ele é de Arizona e só isto já dá medo (Chris Henry), seu tempo nas 40 Jardas? 4,66 (muito lento para um RB do tamanho dele), mas quando você olha o filme, vê-se um cara que sabe onde estarão os buracos e que não cai no primeiro contato, ele correu para quase 4000 jardas nos últimos dois anos tendo 16 jogos consecutivos para mais de 100 jardas, 52 TDs ao todo, muito produtivo. Outras Opções (Aaron Murray [QB], Storm Johnson [RB]).


Quinto round: #151 - Cody Hoffman (WR)
Sexto round: #186 - Wes Johnson (OT)
Sétimo round: #228 - Ciante Evans (CB)

Nunca vi um ano tão difícil, isto foi um parto, se pegarmos uns 4 bons jogadores terá sido um excelente draft ... agora é esperar. Minha avaliação do primeiro round virá no meio da madrugada, não estarei por aqui quando os Titans estiverem no relógio ...
Go Titans.


segunda-feira, 5 de maio de 2014

O caso do ... trade down

Prá fechar a série (eu sei, eu disse que iria fazer o segundo round, mas são opções demais, sendo assim vou parar por aqui), vou considerar a hipótese do time fazer um trade down. Trade down é quando dois times trocam de escolha, o time que sai da posição e vai para uma posição inferior está fazendo um trade down, o outro time está fazendo um trade up. Este processo, exige algum tipo de compensação pelo time que está fazendo o trade up, normalmente trocam-se escolhas de drafts (no draft atual ou futuros) ou jogadores. Existe uma tabela contendo o valor de cada escolha (http://www.drafttek.com/NFL-Trade-Value-Chart.asp) , assim, se o Atlanta que tem o pick 37 quiser subir para o pick #34 de Washington, ele deve acumular 560 pontos, eles podem então dar o pick #37 e o pick #147 para o Washington (o que daria em pontos 530 + 32,6 = 562,6, Atlanta deveria pedir um 7º round do ano que vem para pegar de volta estes 2,6 que sobraram), nunca é uma negociação fácil e tem que se ter um parceiro. Com isto em mente e sabendo que nosso pick #11 vale 1250 pontos, vamos às possibilidades ...

Por que fazer Trade down? Com o pick #11 os jogadores presentes (os OLBs) podem não estar presentes, os QBs não merecem um pick tão alto. O time não tem um pick de terceiro round e quando se tem uma nova comissão técnica toda escolha possível é ainda pouca. Esse draft é profundo em bons jogadores, então se conseguirá um jogador bom, mesmo fazendo um trade down.

Por que não fazer Trade up? Na verdade existem especialistas dizendo que deveríamos fazer um trade up e pegarmos Khalil Mack (isto ficaria caro demais, sem chances). Na NFL é preferível ter um excelente jogador (que supõe-se que conseguiremos no pick #11) do que ter dois ou três bons jogadores.

Possíveis trocas: Dallas pegam os pick #11 e #228 (1252 pontos); dão os picks #16, #78 (terceiro round) e #119 (quarto round), total de pontos 1256.

Baltimore sobem para o pick #11 e  (1250 pontos) e dão os picks #17 e #79 (terceiro round), fazendo 1145 pontos e um quarto round (entre 40 e 96 pontos) em 2015.

Sugestão de escolha para os picks #16 e #17: Darqueze Dennard - CB:



Green Bay sobem para o pick #11 (1250 pontos) e dão os picks #21, #53 (segundo round), #161 (quinto round) - total (1197 pontos) e um quarto round em 2015. Sugestão de Pick: Kony Ealy - OLB:


Outra opção para o pick #21 seria C. J. Mosley (http://titansbrasil.blogspot.com.br/2014/05/o-caso-de-c-j-mosley.html), se o mesmo sobrasse.

San Francisco sobem para o pick #11 (1250 pontos) e dão os picks #30, #61 (segundo round) e #77 (terceiro round) - total (1117 pontos) e um terceiro round de 2015. Um dos QBs (http://titansbrasil.blogspot.com.br/2014/05/o-caso-dos-quarterbacks.html) ou Carlos Hyde - RB:



Minha opinião? Pega uma troca com San Francisco, pegue os melhores jogadores possível com os picks que eles vão nos dar (no caso teríamos 1, no primeiro, 2 no segundo e 1 no terceiro), construa uma boa base para o futuro e não olhe para trás para o excelente jogador que vamos deixar de draftar!

Go Titans!



sexta-feira, 2 de maio de 2014

O caso de ... Aaron Donald

Por que draftá-lo? O maior problema do Titans é impor pressão no QB adversário, é senso comum dos especialistas, e eu tendo a concordar, que para resolver o problema, basta plugar um OLB talentoso ali (Anthony Barr), problema resolvido. Eu gosto desta alternativa, mas quando assistí aos vídeos de Aaron Donald fiquei pensando em como utilizá-lo como pass rusher, e como coordenador defensivo eu realmente gostaria de tê-lo no meu time. Versatilidade! Ele alinha em diversas técnicas 1 (entre o center e o guard), 3 (entre o guard e o Tackle), 4/5 (na frente ou à externo ao OT), sendo que ele é mais natural saindo de técnica 3. É extremamente rápido, ágil e forte, mesmo não sendo tão grande, bate dobras constantemente e às vezes precisam colocar três jogadores para pará-lo. Excelente contra o jogo corrido, excelente pass rusher. Jogador pronto para a NFL, possui um bom arsenal de movimentos, o motor roda a 100%.

Por que não draftá-lo? Como afirmou, novamente com muita precisão o representante da http://nfldraftbrasil.wordpress.com/, este cara é um típico 3 Tech de defesa 4-3, já temos no elenco um dos melhores 3 Tech da liga Jurrell Casey (que está no último ano de contrato) e ele não tem o biotipo ideal para 5 Tech.



Minha opinião? Se este cara sobrasse, eu pegaria sem pensar, o colocaria em 5 Tech e nunca mais iria olhar prá trás. Eu costumo dizer para a DL que eu treino em Volta Redonda que se consigo ocupar 5 OLs utilizando 3 DLs, sobram espaços para os meus OLBs chegarem no QB, no mínimo os OLBs vão trabalhar contra TEs e RBs. O raciocínio é simples, Casey é dobrado sempre (e mesmo assim obteve 10 sacks ano passado), Donald Dobrado no 5 Tech e temos o NT trabalhando no mano a mano? Dificilmente isto acontece na NFL, as dobras vão de dentro para fora, isso significa que ou 5 Tech trabalha mano a mano, ou o dobram com o TE, e temos 3 caras ocupando 6 bloqueadores, neste caso não é necessário ter o melhor OLB do mundo, a pressão virá das laterais por que trabalhamos bem com os números. Nem todo 5 Tech precisa ser dobrado, eu acho que Donald teria que ser, automaticamente melhoraria o nosso pass rush. Outro fato pouco observado é a tendência de Ray Horton, coordenador defensivo, em trabalhar no pacote nickel, neste caso ele joga 4 2 - os DTs jogam em 1 Tech e em 3 Tech e a função destes dois é ir para o QB, eu imagino Casey e Donald se revezando nestas funções tranquilamente e dando um grande trabalho, novamente vc tem que bloquear o meio com 4 jogadores e os DEs vão trabalhar mano x mano. Não vai acontecer, mas este certamente é o meu cara do Draft!

Go Titans.

O caso de ... C. J. Mosley

Por que draftá-lo? Definitivamente essa é uma área de necessidade para os Titans os únicos LBS que jogaram num esquema 3-4 foram, Wesley Woodyard e Moise Fokou. Temos ainda no elenco Colin McCarthy, Zach Brown e Zaviar Gooden (os dois últimos sendo convertidos de OLB para ILB). C. J. Mosley é muito inteligente, têm excelentes instintos, boa leitura, está sempre perto da bola, bom tackleador, excelente contra o jogo corrido e bom contra o passe. O Draft não é profundo na posição então, se você precisa de um ILB é bom pegar o seu logo, e por isto acho que este jogador vai ser escolhido antes do que deveria.

Por que não draftá-lo? Ele é facilmente bloqueável e tem síndrome de Barrett Ruud, ou seja, não tem muita velocidade para deixar a jogada a sua frente quando a lê, com isso tackleia depois que os RBs ou TEs já ganharam algumas jardas, isto pode ser muito problemático na NFL. Falta velocidade!


Minha opinião? Eu passo, não gosto do que vejo no vídeo, o acho muito lento e não dá prá ter um ILB Lento na NFL. Acho que o novo treinador de Linebackers, vai reviver a carreira de McCarthy e Brown, pelo menos vão saber o que fazer com eles e estes caras podem ser muito, muito bons mesmo.

Go Titans.

O caso dos ... Quarterbacks

Este draft está uma doideira, a cortina de fumaça está densa, por vários motivos, os melhores jogadores não são os QBs, ao mesmo tempo, um monte de franquias precisam de QBs, estima-se que no Top 100 incluan-se aproximadamente doze, isto mesmo, DOZE QBs, dizemos que essa é uma posição profunda no draft … então, ninguém sabe ao certo quando a corrida aos QBs vai começar e todo mundo fica com medo de perder o cara de quem gosta, como afirmou precisamente o representante do nfldraftbrasil.wordpress.com numa excelente conversa que tivemos estes dias.

Por que draftar um QB? Novos Técnicos Principais assumindo uma franquia querem ter sua passagem associada a um QB. Como Mike Munchak, Whisenhunt pode querer o seu QB. Jake Locker não se desenvolveu o quanto deveria e os vários motivos, tais como, mudanças de técnico, contusões, falta de um WR #1, etc; realmente não interessam na NFL … como ele está no último ano de contrato (não exerceram a opção de quinto ano que daria 15 milhões ao garoto ano que vem) seria uma boa ideia ter um QB para desenvolver rapidamente, e tem alguns que poderiam ser pegos nessa condição. Os candidatos para o pick #11:

Teddy Bridgewater – você assiste o vídeo e pensa, este garoto pode ganhar jogos, tem boa visão de campo, trabalhou no centro do ataque (não apenas no shotgun ou pistol), não é uma estátua, toma boas decisões, e seus arremessos até 25 jardas são bons, preciso, com paciência e presença no pocket. Falta-lhe braço, não foi bem nas atividades do pro day e é menos físico do que se gostaria. O problema é que existem especialistas dizendo que ele sai no top 5, outros dizendo que ele é top 20 e alguns afirmando que o garoto só vai sair no segundo round … Loucura, acho que ele não estará lá quando pegarmos mas, eu achava a mesma coisa com relação a Jake Locker a alguns anos, então, temos que esperar prá ver ...


Derek Carr – tem o melhor braço entre os QBs deste Draft, é preciso (desde que não esteja sob pressão), tem excelente leitura de defesa, boa presença no pocket, mas trabalhou predominantemente num ataque spread (pegando a bola do shotgun o tempo inteiro), a competição contra ele não era boa, é do mesmo tamanho do Bridgewater e tende a ficar impaciente quando a jogada está em desenvolvimento. O ataque de Ken Whisenhunt ano passado (San Diego Chargers), foi o que mais trabalhou no shotgun na liga, e ele gosta de QBs que saibam utilizar o pocket. O Titans já trouxe o garoto para uma visita, foi ao pro day, teve entrevistas em dois encontros privados, estão realmente estudando este cara … se ele sobrar no pick #11, acho mesmo que irão pegá-lo.


Blake Bortles – Esse cara tem o biotipo que você quer, é um tipo de Big Ben (dos Steelers – o primeiro QB com o qual Ken Whisenhunt obteve sucesso), o garoto é bem móvel, consegue fazer umas jogadas mágicas, é preciso, sabe utilizar o pocket e é difícil de se derrubar. O ataque no qual jogou era bem limitado, bem como a competição, mas gostei do que vi nos vídeos e no Bowl que disputou no início do ano. Não acho que ele chega ao pick #11, mas se chegar, acho que Whiz vai pressionar para que nós o peguemos. Dos QBs este é o que, em minha opinião cairia como uma luva no Titans, mas deve ser desenvolvido, não vai chegar e jogar (nenhum deles iria no meu time).


Johnny Manziel – Não se encaixa no esquema de ataque de Ken Whisenhunt (e está escrito BUST, com letras garrafais na testa dele), sem chances.

Por que não draftar um QB? Não sei se estes Qbs merecem picks tão altos … eles são, de fato, uma incógnita. Locker será o titular este ano, então não tem uma urgência tão grande assim, visto que todos eles devem ser desenvolvidos.

Minha opinião? Essa é difícil ... como o draft é profundo em QB e já está certo que Locker será o titular este ano, podemos pegar um QB no segundo round e desenvolvê-lo para os futuros anos caso Locker não vingue, se vingar agente passa o cara para outro time daqui a dois anos. Mas acho difícil do Front Office passar Bortles ou Carr.

Go Titans.

O caso de ... Taylor Lewan

Por que draftá-lo? Michael Ross está no seu último ano de contrato e lado errado dos 30 anos, como estamos no processo de remontagem da OL, este seria um pick aceitável para o futuro. Lewan é experiente, ágil, forte, bom no jogo corrido, excelente protegendo o QB em jogadas de passe. O garoto ainda tem espaço para crescimento e aprendizagem.



Por que não draftá-lo? Tem uma boa grana investida em Michel Oher e em Michael Ross, o draft é profundo em OT este ano e se pode encontrar um bom projeto no quarto round. OT não é prioridade este ano! Lewan teve alguns problemas fora de campo durante a universidade.

Abaixo um vídeo interessante, um jogo no qual Lewan trabalha contra o melhor jogador do draft, ele não se sai mal não. Excelente jogador.


Minha opinião? A unidade que exige a maior quantidade de entrosamento é a OL, este entrosamento só vem com o tempo, eu gostaria de ver essa OL do Titans trabalhando junta por mais, pelo menos, três anos, Ross em 8 anos ficou fora de apenas 1 jogo, ele está jogando em alto nível e acho que esse ano, com um bom técnico, será ainda melhor. Deveríamos assinar um contrato de mais 4 anos com o garoto, isso sim. O fato de Lewan ser tão bom, e ter algumas equipes certamente atrás dele, faz do nosso pick #11 atraente e, poderíamos conseguir um trade down com o mesmo. Entretanto, se não conseguíssemos o trade down, eu o draftaria ao invés de um dos CBs.