domingo, 17 de janeiro de 2016

Mularkey fica

Vou começar chutando a porta. Não curti essa contratação! Não esperava essa contratação. Não entendo essa contratação. Meu ponto de vista é o mesmo de 99,9% da torcida, mas não adianta chorar. Mularkey será o treinador, e ao que tudo indica, ao menos por umas duas temporadas.

Que comece a era Mularkey então ...

Falando sobre o novo velho HC, é preciso ressaltar um ponto primordial: Mularkey aprende com os seus erros. Ninguém deixa uma franquia após uma temporada à toa. Quando saiu de Jacksonville, em 2012, ele foi chamado de tirano. A sua demissão aconteceu porque o vestiário já não o suportava mais. Em Nashville a situação é completamente diferente. É notório o apoio da maioria dos jogadores. Algo mudou na forma como ele se relaciona com o grupo, com os seus chefes e com os seus assistentes. Respeito e admiro isso.

Outro ponto positivo – sim, há algo de positivo em tudo isso – o nosso GM aceitou essa situação. O Titans desde o final da temporada queria o Mularkey como HC, e a franquia eliminou vários candidatos a GM que se recusaram trabalhar com ele. 


Agora o que nos restar é torcer para a chegada de bons assistentes. Mularkey de alguma forma conseguiu convencer a franquia de que ele era o homem certo. Temos que esperar pra ver!

sábado, 16 de janeiro de 2016

Jon Robinson é novo GM do Titans


Chegou a era Jon Robinson! Depois de entrevistar seis candidatos, a diretoria do Titans optou pela contratação do ex-assistente do Tamba Bay Buccanears. Mais conhecido por seu trabalho em New England, onde ficou por 12 anos, Robinson foi um dos responsáveis pelas escolhas de nomes do calibre de Rob Gronkowski, Julian Edelman e Devin McCourty.

Em Tennessee, Robison terá total controle sob os picks do draft e contratações no free agency. Resta saber se ele vai ajudar o time na escolhe do novo HC. Rumores dizem que a franquia preteriu candidatos que não queriam trabalhar com Mike Mularkey, no momento, o favorito a conquistar a vaga. Outros dizem que Robinson pode trazer Josh McDaniels, atual OC de New England. Esse fim de semana será primordial para sabermos o que é verdade. Caso o Patriots derrote o Chiefs, só poderemos conversar com McDaniels a partir do dia 24 de janeiro. Se o time realmente o quiser, não devemos ver o anúncio do novo HC tão cedo.

Na segunda Robinson será apresentado para a imprensa. Gostei muito de sua contratação. É o sonho de muitos profissionais assumirem uma franquia com um grande QB, bons jogadores jovens e o first pick no draft. Espero que ele não desperdice essa chance.


TITANS UP!  

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

E aí? O que vem a seguir?

Em Agosto de 2015 disse que sucesso seria ter uma temporada 6-10, chegamos à metade disso, o que prá mim é um desastre. Vários motivos contribuíram para tal, mas a verdade é que a franquia está uma bagunça. Departamento de scouting (recrutamento) abaixo da média, GM fraco, Coaching (comissão técnica) fraca, sem um presidente definitivo, ameaçando processar a NFL por causa da estrutura gerencial etc. Uma zorra!
É difícil obter bons resultados em um ambiente tão bagunçado, então, ficamos em último esse ano novamente (ano passado ficamos também, não fomos primeira escolha pelo critério de desempate). Isso é terrível, dois anos seguidos sendo a franquia com o menor número de vitórias ... ruim demais (ter que ouvir de torcedor do Houston Texans que somos fregueses é brabo!).
A coisa tá feia? Sim! Mas existe luz no fim do túnel:
1º - Amy Adams Strunk parece ter tomado as rédias da franquia, a filha de Bud Adams esteve presente em todos os jogos da temporada, mandou Whisenhunt embora quando foi preciso, demitiu Ruston Webster (o GM), convenceu o Presidente Interino a se tornar o CEO permanente do time e está fazendo parte do processo de escolha de GM e Técnico, esse envolvimento da dona do time traz confiança e isso é importante, foi bacana vê-la no vestiário depois do jogo contra os Saints vibrando com a vitória e mimando Marcus Mariota, isso faz diferença, ela parece se importar, o que o presidente anterior, não parecia.
2º - Existe talento na defesa: Orakpo foi bem, Morgan estava indo muito bem até se machucar, a DL com Casey, Jones e Woods/Hill é boa e profunda; a dupla principal de CBs é boa (Jason McCourty e Perish Cox), os Safeties poderiam ser melhores, mas não é a pior dupla do mundo, e o capitão da defesa, Avery Williamson é muito bom. Precisamos de mais dois CBs que possam jogar e dois ILBs um para jogar ao lado do Williamson e um bom reserva. Mantermos Dick LeBeau como Coordenador defensivo seria bacana também.
3º - Não estamos tão longe assim: quando você olha temos 3 vitórias! ok, o time é ruim, na NFL você é quem o número de vitórias diz que você é. Mas, ano passado tivemos um monte de surras e esse ano perdemos 8 por uma posse ou menos, ou seja, de alguma forma, o time foi competitivo (talvez seja por que pegamos uns times bem fracos, mas em 2014 fomos surrados até por estes).
4º - E aí vem Mariota que superou as expectativas até dos mais pessimistas, esse garoto tem talento e deve-se construir um time prá ele? Como? Melhorar ainda mais essa defesa. Arrumar o jogo corrido e dois WRs que consigam ficar livre.
Mariota faz a franquia ser atrativa para os técnicos, por que é difícil achar um QB com o talento que ele tem. Se não der algo muito errado, esse garoto vai ser grande, e a franquia vai junto!
Agora é esperar: um excelente GM e HC, um período de livres negociações de sucesso (teremos grana prá isso) e um draft perfeito ... não custa sonhar!

Em fim, foi uma temporada braba, mas ...

Go Titans! 

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Titans está no relógio

O pior aconteceu em 2015. Antes do início da temporada regular, deixei aqui os meus prognósticos otimistas, realistas e pessimistas. O cenário mais desalentador previa três vitórias, contra o Bucs fora de casa e nas partidas frente ao Raiders e ao Jaguars no Nissan Stadium. Uma péssima atuação das zebras nos tirou o triunfo contra Oakland, porém os outros dois vieram. Ainda derrotamos o Saints em New Orleans, feito que não coloquei nem em minha previsão mais otimista.

Por conta do nosso fraquíssimo calendário, o recorde de 3-13 garantiu a franquia a primeira escolha do draft. Não escolhemos nessa posição desde 1978, quando o time levou para Houston Earl Campbell, possivelmente o melhor RB da história do clube.

No dia seguinte ao fim da temporada, o agora Presidente Steve Underwood anunciou que o Titans não vai renovar o contrato do GM Ruston Webster. Ainda na entrevista coletiva, foi dito que o HC interino Mike Mularkey é um dos dez finalistas ao cargo de HC.

Sobre os dois anúncios o que eu digo é o seguinte: vieram no momento certo. Webster venceu apenas 18 jogos em quatro temporadas. Fez boas escolhas no draft e trouxe nomes do calibre de Delanie Walker e Brian Orakpo no free agency, mas isso não impediu que o time tivesse o elenco mais fraco da NFL. O grupo de titulares é bom, tá longe de ser o pior, mas em uma liga com tantas contusões, você precisa ter profundidade, e nesse quesito falhamos de forma assustadora.

Acredito que o Mularkey será entrevistado por pura cordialidade. Se o seu período como interino fosse a sua primeira experiência como HC, acho que ele até poderia vencer essa corrida. Terceiras chances na NFL são raras, principalmente para treinadores que possuem apenas uma temporada vitoriosa.

O Titans começou a busca por um novo HC logo após a queda do Whiz. Uma lista com 155 nomes foi elaborada. Agora restam apenas dez candidatos. Até o momento, o time não pediu para conversar com nenhum deles. Underwood disse que não há uma necessidade de contratar um GM primeiro que o HC, mas ao que tudo indica, a franquia seguirá essa ordem. Também não vão trazer um HC para atuar como GM. Com isso, Chip Kelly parece estar fora da disputa.


O meu favorito ao cargo de HC é o Hue Jackson, atual OC do Bengals. Ele tem experiência como HC, é ótimo com os jogadores, fez um tremendo trabalho a frente do ataque do clube, principalmente desenvolvendo Andy Dalton e vários jogadores de linha. Hoje o clube é uma das franquias mais fortes da NFL, cenário bem diferente daquele que o Jackson encontrou quando foi pra lá.