sábado, 24 de dezembro de 2016

Jogo #15 - Titans 17 x 38 Jaguars

Essa semana estava dizendo ao meu filho: "Esse é o tipo de jogo que o Titans costuma perder!"; é evidente que esse time não está pronto! Temos sim boas peças, essa temporada está sendo boa prá nos mostrar isso, mas a verdade é que ainda faltam muitas partes importantes ...
Acho que essa derrota é uma mistura de muitas coisas, prá mim as três principais são:
1º - concordo e muito com o Diego Scorvo que esse jogo é um terrível maching up prá nossa secundária, e sem o Klug prá atormentar o centro da linha, ficou pior. McCain (#23) e Valentino Blake (#47) são horrorosos e o HC dos Jaguars sabe disso lançou o dia inteiro em cima deles ... Bortles parecia o Tom Brady ... 
2º - o maching up dos nossos WRs contra a secundária dos Jaguars é bem ruim também, basicamente, eles colocaram Ramsey em cima do Matthews e Cypren em cima do Walker. Um S na sobra de um dos dois, os demais WRs/TEs foram marcados homem x homem, então, a cada jogada eles atacavam a linha com 7 ou 8 jogadores, matando o nosso jogo corrido, sendo que os passes estavam sob controle.
3º - Acho que esse foi o pior trabalho da comissão técnica no ano! O time estava claramente despreparado para esse jogo ... muito disso passa pela cabeça dos jogadores que pareciam pensar que era só entrar em campo e o jogo estaria ganho. Isso é Futebol Americano filho, vc tem que jogar, ninguém ganha de véspera!
Nossa situação é a seguinte: se Colts perder (o que é bem possível) e Texans também (o que é bem difícil) permaneceremos na briga, e eu gostaria de vê-lo jogando os 16 jogos. Cada jogo é importante para o desenvolvimento do garoto.
Foi brabo esse jogo, mas NFL é assim mesmo quando se tem um time em desenvolvimento: tem dia que é um sonho, tem dia que é ridículo!
Hoje foi Ridículo!

A pior notícia do dia não foi a derrota, e sim a contusão de Marcus Mariota, que foi confirmada como fratura de fíbula e o tira da temporada. Nossas orações vão para o QB nesse momento difícil e que a recuperação seja boa!

domingo, 18 de dezembro de 2016

Jogo #14 - Titans 19 x 17 Chiefs ... lá

QUE FIM DE JOGO! QUE FIM DE JOGO!
Depois de começarmos perdendo de 14 x 0, entregando três turnovers e recuperando apenas um, não tendo sucesso em uma conversão de dois pontos, em um frio de -XºC (X > 10 kkk). Fomos para o último drive com o jogo 17 x 16 para os Chiefs, Walker, Mathews e Mariota fizeram seu trabalho e colocaram a bola em 36 jardas do campo ofensivo. Sucop que havia perdido a posição para o Cairo Santos tinha a chance de vingança, e ele perdeu o chute. Para a nossa alegria Leôncio (HC dos Chiefs) pediu tempo (o que chamamos de Ice the kicker), e ele teve outra chance chutando uma bola com 54 jardas para a vitória do Titans!
Na boa, não foi bonito, mas quem, não interessa ... GANHAMOS!
Ganhamos dois bons times em duas semanas seguidas, estamos 8-6, somos os líderes da AFC South junto com os Texans e eu não serei racional! 
Go Titans! 
Quero Playoffs de presente de Natal!

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Jogo #12 - Titans 27 x 21 Bears

Se cair em uma questão de prova: "Defina desespero." ... minha resposta é: "Assistir os CBs do Titans!". Não existe hoje um CB se quer mediano no roster. Não sei como estamos conseguindo ganhar de maneira apertada esses jogos. Prá mim á receita é simples: vc protege o QB com OL + TE + RB, qualquer conjunto de 3 "legívies" (TE, RB ou WR), baterá nosso conjunto de CBs ... McCourty, Cox, McCain, Blake e o calouro Sims (até agora, o único calouro duvidoso) jogaram mal demais, não perdemos o jogo graças aos dropses dos WRs do Bers na endzone.

Mariota e Matthews continuam a desenvolver uma afinidade bacana, enquanto o QB mantém o bom relacionamento com o TE Delaine Walker ... o moleque está jogando o fino da bola. Derrick Henry fez um excelente jogo, e pode ser que receba mais oportunidades carregando a bola, visto que Murray não parece saudável. A OL continua jogando bem, entretanto o #77 precisa parar de fazer faltas idiotas, que eu contei foram 30 jardas contra ele!

O Font seven defensivo é bom, mas hoje, não conseguiu chegar no QB. Nossos LBs continuam tendo problemas para marcar os TEs, mas, dá pro gasto. A pressão dos OLBs foi abaixo do normal, não pegamos nenhum sack e isso acaba refletindo na secundária, mesmo assim, eles precisam jogar melhor do que têm jogado!

Nosso time de especialistas continua sendo uma das maiores piadas da NFL, entregamos novamente um on side kick e os retornos de kick offs não passam da linha de 20 jardas. Ao fim da temporada, tem que demitir todo mundo desse setor! 

Ganhamos! No fim isso é o que importa! Estamos 6-6, atingimos a meta que, para mim, diz que tivemos uma boa companha de reconstrução e nos mantemos na briga pela divisão. Agora é curtir a semana de folga e esperar o Broncos no dia 11/12 ... Oremos!

Go Titans!


domingo, 20 de novembro de 2016

Jogo #11 - Titans 17 x 24 Colts

Se você quer ganhar na liga, tem que ser consistente em coisas boas. O time não pode começar tão lento como começou hoje. Tomamos 21 pontos antes de esboçar qualquer reação. Nada funcionou no primeiro quarto e até a metade do segundo, quando o time começou a fazer alguma coisa o jogo já estava 21 x 0 para os Colts.

Ok, o time lutou para voltar e conseguimos fazer 17 pontos sem resposta do Colts, mas no fim, nossa secundária nos matou. Jason McCouty, Perrish Cox e Brice McCain (mesmo com uma boa interceptação que nos colocou em condição de fazer a campanha que seria de empate) estão jogando mal a algum tempo, isso precisa visto na off season.

O Jogo corrido não clicou e Mariota teve que lançar a bola 36 vezes, você não quer o garoto lançando tantas bolas, embora ele tenha ido bem a partir do fim do segundo quarto, esse time não foi construído para isso. É imperativo que tenhamos um bom jogo corrido para que o jogo aéreo flua daí.

Acho que podemos dizer adeus às esperanças de playoffs ... agora é trabalhar o time, aprender a vencer jogos difíceis e ganhar mais duas ou três partidas.

A freguesia continua e ainda temos um longo caminho pela frente, para nos tornar um bom time novamente, mas estamos no caminho.

Go Titans!

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Jogo #10 - Titans 47 x 25 Packers

Sejamos sinceros, nem o mais otimista dos torcedores do Titans esperavam uma vitória com esse nível de superioridade contra o Green Bay Packers. Acredito que assim como nós, as pessoas que escrevem sobre o Packers, como os amigos do Cheese Head Brasil (http://cheeseheads.com.br/), então tentando entender o que, de fato aconteceu e vou tecer minha opinião aqui, sintam-se à vontade para discordar (isso é sempre bom).
1º - O time jogou de maneira agressiva desde o primeiro instante nas três fases do jogo: Tentar o onside kick no primeiro lance é muito legal. É uma chamada de risco, mas quando se é franco atirador, tem-se liberdade para se fazer essas coisas. Um monte de lançamentos longos, um monte de blitzes ... foi bacana ver o time jogando dessa forma. Prá ganhar! Que é bem diferente de jogar para não perder.
2º - Colocar pontos no placar cedo: O primeiro quarto terminou 21-0. Isso é uma combinação de boas atuações das três fases da equipe, entretanto, marcar em suas três primeiras posses e evitar que o adversário pontue, vai te colocar em boa posição.
3º - Saúde: O Titans está bem saudável, não havia nenhum jogador importante fora dessa partida, em contra-partida, o Packers já perderam alguns bons. Entretanto, a NFL é assim mesmo. Infelizmente, contusões acontecem e é necessário ter profundidade no elenco.
Acho que esses foram os principais motivos. A defesa se redimiu do péssimo jogo da semana passada. E quando importou (o primeiro tempo) manteve Aaron Rodgers em cheque, sem espaços. O jogo corrido dos Packers foi anulado também, e a maioria dos números de Green Bay vieram quando o jogo já estava definido (se é que existe isso contra AR).
Coletamos 5 sacks e um monte de pressão no QB adversário!
Murray continua jogado o fino da bola, teve um TD de 75 jardas na primeira jogada ofensiva, carregou bem a bola, conseguiu jardas difíceis, recebeu para 33 jardas (156 jardas totais) e ainda lançou um TD para Delaine Walker.
E por falar em Walker ... que atuação do TE, ele estava em todo lugar do campo, bloqueando correndo e recebendo ... que jogador! Foram 9 recepções, e 124 jardas.
O grupo de WRs foi o que mais cresceu durante a temporada regular, Rishard Matthews está em uma série de cinco jogos consecutivos com pelo menos um TD, Tajae Sharpe pegou seu primeiro TD e Kendall Wright também coletou um TD.
A OL teve Lewan sendo ejetado ainda no primeiro quarto, por encostar no juiz (o que foi uma idiotice da parte dele), Dennis Kelly entrou e jogou o fino ... continuamos com excelente jogo nas extremidades da OL. Outra coisa curiosa foi a manutenção do Schwenke mesmo com a volta do Quinton Spain (que jogou como titular nos snaps iniciais). Achei que ele estivesse piorado a contusão, mas Mularkey não falou nada sobre contundidos na entrevista ontem, vamos ver se fala na de hoje.
É importante notar que a desconfiança no ataque diminuiu bem, visto que  a quantidade pontos que o mesmo tem marcado é considerável, principalmente para a forma “antiga” que o nosso ataque é construída (como DC, gosto desse ataque.).
E eu gostaria de terminar falando de três destaques:
1º - Marcus Mariota: O moleque está jogando demais, mesmo semana passada, quando os seus turnovers mataram o jogo, ele tem entregado além do esperado para o ponto da carreira noqual ele se encontra, ontem, novamente, lançou para quatro TDs, conseguiu algumas terceiras descidas importantes e é visível a melhoria dele nas bolas fundas ... Ontem ele chegou à marca de 20 TDs lançados em uma temporada, o último que fez isso foi Steve McNair, ele falou com um carinho sobre Air McNair que me levou às lágrimas ... tem muito o meu respeito Marcus Mariota! Muito mesmo!
2º - Kevin Byard – o calouro está em todo lugar da defesa, quebrando passes, marcando homem x homem, controlando zonas de cobertura, fechando o box no jogo corrido, dando tackles, for losses, sackando o QB ... que achado é esse garoto, se continuar assim, será uma das estrelas da liga daqui a uns dois anos, ontem ele jogou demais, demais mesmo!
3º - Jon Robinson – O GM mudou a profundidade do time, ontem terminamos o jogo com 40% da OL que começou como titular no ano passado, e a qualidade não caiu. Murray, Jones, Matthews, Kelly, Johnson e Kline são contratações importantíssimas para que o time esteja nesse nível. Falta talento, claro, mas temos um grupo jovem e promissor. Os Calouros vêm fazendo um excelente trabalho, e ainda ficarão melhores.
Estamos na briga pela divisão e pelo Wild Card (acho esse mais difícil).

Go Titans!

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Jogo #9 - Titans 35 x 43 Chargers

Acho que esse foi o nosso pior jogo defensivo esse ano. Não que a defesa esteja sendo a melhor coisa do universo, todos sabem que temos problemas na secundária e que precisamos de mais velocidade/capacidade de fazer jogadas nos ILBs. Nossa defesa não é ruim, mas está, no meu ponto de vista, a três jogadores de ser uma defesa que ponha medo em alguém.

Mesmo assim, vínhamos jogando bem contra as corridas, e, na maioria dos casos, a defesa manteve o placar baixo, o que não aconteceu ontem. Ok, 17 pontos vieram dos turnovers (14 direto e um field goal). Melvin Gorgon corrreu 196 jardas. Defesa de bons times dão uma "gordura" para que o QB erre, a nossa não tem dado.

Mariota joga no fio da navalha! Se ele joga sem erros, ganhamos, caso contrário, perdemos.

Não que seja diferente com o restante da liga, mas: a) qualquer time da NFL (exceto Titans - zero fumbles, sério?) força erros adversários (nosso QB vai errar, claro), b) bons times conseguem passar por cima de um ou dois erros (nós, obviamente, não). E, esse é um problema prá mim. O time não dá chance nenhuma pro QB, caso ele cometa algum erro.

Três das quatro coisas que me saltaram aos olhos na defesa: a) Williamson regrediu! Não consegue marcar os TEs e não vem sendo efetivo contra as corridas, a impressão que tive é que ele está jogando no sacrifício, perdeu diversas jogadas que, normalmente, não perderia. b) Nossos CBs são ruins (mesmo McCourty não está bem), mas, o Brice McCain é horrível demais ... c) Byard é bom, precisa ficar em campo!

A quarta coisa ... precisamos de playmakers nessa defesa. Isso é necessário na NFL.

Quanto ao ataque os WRs estão jogando melhor, principalmente o Matthews.

Kendall Wright disse ter errado na interceptação que foi retornada para o TD, Mularkey disse o mesmo (Mariota disse que o erro foi dele, eu tive a mesma impressão, mas é difícil julgar), Sharpe está indo, se desenvolvendo dentro de campo, falta um playmaker. Delaine Walker e os demais TEs, têm jogado bem.

O Chargers controlou Murray, assim, fez um bom segundo tempo.

A OL foi, bem na proteção para os passes, e não tão bem no jogo corrido, acho que o Quinton Spain faz falta por ser um cara bem grande com excelente velocidade. Teve um erro crucial do Conklin que não sustentou o block ao #54 do Chargers, o mesmo forçou fumble retornado para TD, mas no demais foi bem.

O Time de especialistas não foi notado, o que significa que não fizeram grandes merdas. Na atual conjuntura, já é bom.

A grande questão foi o desempenho de Marcus Mariota, que até fez um bom jogo. Os três turnovers mataram o jogo (17 pontos de graça pros caras)! Mas ele nos manteve vivo até o fim. Me arrisco a dizer que se a defesa tivesse jogado no seu normal, seria mais difícil obter resultado negativo.

O Time está no caminho certo, o QB está se desenvolvendo, e acho que ainda veremos mais algumas derrotas desse tipo até que ele amadureça. Sim é de cortar o coração. Era um jogo que poderíamos vencer e isso nos colocaria no topo da divisão, mas a vida na NFL é assim mesmo.

Perdemos mais um jogo por uma posse, que provavelmente estaria perdido no primeiro quarto, com 16 x 0 prá eles ... chegamos a fazer 21 x 19 ... Foi ruim, mas foi bom.

Go Titans!

terça-feira, 1 de novembro de 2016

A primeira metade do Titans em 2016

O Titans de 2016 é o melhor desde 2011. Não só o número de vitória mostra isso, como o que o time apresentou em campo. Vencemos metade das partidas, porém em todas as derrotas o time sonhou com a vitória até o final do último quarto.
Logo em sua estreia, o Titans mostrou que era um time diferente. Os primeiros 30 minutos diante do Vikings foram excelentes. Ataque e defesa funcionaram bem, anulando uma equipe que tem tudo para vencer a sua divisão. Erros individuais acabaram nos custando a sonhada vitória em casa. Na semana seguinte, o elenco mostrou um poder de recuperação incrível ao virar um jogo que parecia perdido. Não acho que o Titans merecia a vitória diante do Lions em Detroit, mas ela veio.
Em seu retorno a Nashville, o time teve pela frente o Raiders, equipe que quase vencemos em 2015. Foi um jogo muito bom da defesa, mas o ataque não entrou em campo. A ausência do Walker prejudicou demais o plano de jogo da equipe. Diante de uma das piores defesas da NFL, a gente marcou apenas 10 pontos. Nos minutos finais, o Titans chegou a ficar a duas jardas de empatar o jogo, mas uma série de faltas impediram a primeira vitória em casa.
No nosso primeiro jogo dentro da divisão, o Titans teve uma atuação estranha em Houston. Nos primeiros minutos, o Texans parecia que ia atropelar, mas a defesa reagiu e o ataque encontrou o seu ritmo. O que determinou o resultado da partida foi a péssima atuação do Special Teams, responsável por 10 pontos dos nossos oponentes. Mais uma vez chegamos ao último drive com chances de empatar a partida, mas dessa vez o ataque não conseguiu nem sequer chegar a red zone.
Ainda viajando pelos EUA, o Titans foi até Miami encarar o Dolphins. Acho que essa foi a nossa atuação mais redonda em todo ano. O time da casa não teve chance de vitória em momento algum. Pontuaram porque perdemos uma série de tackles em algumas big plays. O ataque terrestre engoliu a DL com Suh, Wake e Williams.
Tentando vencer jogos consecutivos pela primeira vez desde 2013, o Titans recebeu o Browns. Novamente o ataque mostrou do que é capaz. Mariota acertou passes longos e o Murray conseguiu correr bem contra uma defesa muito sólida contra o jogo terrestre. O placar ficou apertado porque o nosso ST é um desastre. Deixamos o time de Ohio recuperar um onside kick de forma pífia.
O duelo mais aguardado da primeira metade da temporada não foi do jeito que a gente queria. Mesmo embalado, o Titans não conseguiu finalmente derrotar o Colts. A verdade é que todo o time atuou muito mal, mas mesmo assim a gente teve a bola para vencer o nosso rival nos últimos dois minutos.

O Jaguars acabou pagando pela nossa derrota diante do Colts. Em nosso único jogo televisivo em 2016, o Titans não tomou conhecimento da equipe da Flórida. Antes do final do primeiro já era claro que venceríamos.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Jogo #8 - Titans 36 x 22 Jaguars

Sinceramente, precisávamos dessa vitória. E foi bonita ... quando até o time de especialistas do Titans faz boas jogadas, significa que o Universo conspirou em seu favor ... O jogo, de fato, acabou  quando vencíamos a peleja por 36 x 8. No quarto quarto entrou a galera do terrão e os números do Jaguars inflaram (o que chamamos de garbage time), entretanto, nesse momento, como diria meu ex-professor Otávio Carpinteiro: "Inês já era morta!", e não vou considera-lo aqui.

Foi uma vitória na qual o time jogou muito bem nas três fases da bola ...

A primeira coisa que a defesa fez, e vem fazendo com eficiência, foi matar o jogo corrido. Ivory e Yeldon foram limitados a 7 carregadas para 26 jardas, Bortles acrescentou 4 corridas para 22 jardas, é claro que sair muito atrás no placar, limita o número de corridas, mas isso só aconteceu por que a defesa saiu de campo rápido no início do jogo. No fim da história, como defesa, você quer tornar o time adversário unidimensional, isso foi um sucesso tremendo (eles tiveram 11 corridas e 54 passes) e por incrível que pareça, Valentino Blake e Brice McCain não comprometeram quando os Jaguars vieram para os passes. Saímos ilesos, os WRs adversários não encontraram o ritmo. O nosso front seven dominou o jogo e, fim de papo!
O ataque passou por cima Murray jogou o fino da bola, como sempre, Henry contribuiu com 97 jardas totais (60 correndo e 37 recebendo bolas) e um TD. A OL dominou a linha, abrindo espaço para o jogo corrido e dando o tempo necessário para que Marcus Mariota pudesse fazer seus lançamentos, que por sinal estiveram em um nível altíssimo, ele acertou 18 de 22 passes, com dois TDs e sem turnover ... Wright, Walker e Matthews jogaram bem novamente e os demais recebedores contribuíram.

O time de especialistas não comprometeu. Recuperou um fumble e pegou um on-side kick (já no garbage time). Foram bem ... finalmente.

Constatações que julgo importantes:
1 - Quando Mariota joga bem, realmente é difícil parar o time. Não estou afirmando que vamos ganhar sempre que ele jogar bem, mas isso nos dá uma boa chance a cada semana.
2 - Temos 40% da OL titular fora, mesmo assim, eles têm jogado em alto nível, e aí eu vou atribuir isso ao OL coach Russ Grimm e ao GM, que realmente trouxe atletas melhores para a reserva.
3 - A medida que os times começam a temer o nosso jogo corrido, temos condições de passar a bola, e aquelas bolas que viajavam mais de 20 jardas e que Mariota não acertava de forma alguma, estão começando a entrar (duas bombas no jogo contra Browns, uma contra Jaguars e contra Colts uma passou perto).
4 - Com 8 jogos estamos 4-4, sem dúvidas, melhor que o ano passado. Prá mim o mais importante é que não houve um jogo no qual não tivemos chance de vencer e isso é um grande salto com relação aos últimos anos desse time.

Espero que façamos a segunda metade da temporada tão bem (sim, foi bem) quanto a primeira, e que o time continue a evoluir. Não se iluda, falta talento nesse time, mas acho que estamos no caminho certo.

Que venha o Chargers - Go Titans!


Só uma amostra:



segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Jogo #7 - Titans 26 x 34 Colts

O Colts viajou à Nashville com o corpo de WRs quebrado, com o TE reserva, com a OL quebrada, com defeitos conhecidos por toda a liga no pass rush, com o orgulho ferido pela derrota de cortar o coração para os Texans, ouvindo a semana inteira que perderiam para o Titans e com uma vontade IMENSA de vencer ... eles trouxeram Luck, Gore, Hilton e o ex Titan Jack Doyle ... acabaram com o jogo.

O Titans perdeu uma grande chance de acabar com a freguesia de nove jogos para o Colts, mas, perdemos o décimo. O que houve? O Colts foi melhor ... simples assim!

A defesa do Colts não conteve o nosso jogo corrido, entretanto, Mariota não estava em um bom dia e para que as corridas sejam eficientes, o time tem que ficar em campo em terceiras descidas ... Mariota perdeu algumas terceiras cruciais. Perdeu alguns recebedores livres no fundo do campo, mas principalmente sofreu um fumble no momento em que o time deveria virar o jogo.

Esse foi, sem dúvidas, o pior jogo da temporada, ok, eles correram para apenas 81 jardas, entretanto, Luck colocou Hilton, Doyle e cia (TEs reservas) no jogo. Hilton (133 jardas + TD) bateu todos os nossos CBs diversas vezes, TODOS ... Doyle torturou os ILBs (78 jardas + TD), principalmente Avery Williamson e Sean Spence ... foi uma festa ... O pass rush foi praticamente inexistente, e quando entrou, os defensores de intermediaria do campo estavam tão preocupados com os TEs, que não estavam em posição, permitindo arremessos para Frank Gore e a corrida do Luck.

O Time de especialistas continua o mesmo, péssimo! Primeiro perdemos um chute de ponto extra, sabe quantas vezes os caras praticam isso na semana? "Centenas de vezes ..." (Mike Mularkey). O HC disse que a defesa de On side kick foi treinada e mais, disse que ele avisou ontem e pouco antes da jogada que viria naquele instante ... mesmo assim, nosso time não fez a jogada, e aí, tivemos que sair do planejamento inicial de jogo, ou seja ... no fim, não conseguimos recuperar o on side ...

A verdade é que fomos dominados nas três fases da bola, e como chegamos ao fim disputando o jogo? Colts cometeram faltas em momentos chave que nos mantiveram no jogo, fora isso, deveria ter sido uma surra.

A divisão está assim:

Texans 4-2 (jogam amanhã)
Colts 3-4
Titans 3-4
Jaguars 2-4

Quinta tem mais ... precisamos de aprender a vencer na divisão ... Espero, sinceramente, fazer uma publicação na sexta feira de nossa vitória!

Go Titans!

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Evolução? Sim - Evolução 3-3 ...

Por motivos técnicos não pude postar matérias aqui (novamente, desculpem o hiato)!

A verdade é que, por incrível que pareça, estamos 3-3! Três vitórias foi o que tivemos ano passado, e se Marcos Mariota tivesse umas bolas de volta, poderíamos estar, 4-2 ou 5-1 (deixa eu ser torcedor e exagerar um pouco).

A pergunta é: o que aconteceu para que vencêssemos estes jogos?

1º - Até que o Titans  vençam times considerados bons, vão afirmar que vencemos times fracos, mas evoluímos, por que nos dois últimos anos perdíamos para times fracos. Esse ano, competimos contra bons times até o fim e vencemos os times mais fracos ...

2º - A defesa continua melhorando! A secundária que é, nosso ponto fraco nesse lado da bola, tem melhorado, o calouro Byard está aumentando o seu tempo em campo, e está sempre perto da bola. JMac está voltando à velha forma e com isso os QBs não podem lançar na primeira leitura, isso dá chance do nosso pass rush chegar ao QB, e foram 12 sacks nesse último jogo, fora os Hits e os Hurries que coletamos ... A defesa contra o jogo corrido está bacana também ...

3º - Mariota minimizou os erros nessas duas partidas e, além disso acertou. São sete TDs (seis passando e um correndo) contra uma interceptação nesses jogos.

4º - A OL continua jogando bem, principalmente os OTs ... Lewan é considerado o melhor LT da liga atualmente, não cedeu sack, hit ou pressão nessa temporada ainda, é o segundo em jogo corrido ... Conklin, o calouro, está entre os três melhores RTs da liga ...

5º - O jogo corrido continua bem. O mais interessante é que nessas duas últimas semanas vimos Mariota fazendo parte do mesmo, com corridas desenhadas prá ele e alguns read options, que ele fazia tão bem em Oregon. Murray é um monstro!

6º - O Kendall Wright voltou e no jogo contra o Browns recebeu 8 bolas para 133 jardas ... se ele continuar assim, podemos ter um WRs ...

Mas, o que falta?

1º - Talento! Posições com WR, CB e ILB precisam de upgrade.

2º - Velocidade! Tanto no ataque quanto no time de especialistas ... prec
isamos de velocidade, mas não vamos conseguir isso esse ano.

3º - Mais jogadas longas, como o TD do Wright de 48 jardas num passe lindo de Mariota ou a corrida inicial de 30+ jardas do nosso QB, uma interceptação ou fumble retornado para TD ... jogadas que fazem os outros times respeitarem e planejarem melhor para jogarem contra o seu time.

A comissão técnica também, embora criticada por aqui, definiu um estilo e estão jogando de acordo com o mesmo ... É bonito de ver? Não!!!!! Mas, é funcional! Tenho visto um monte de corridas e jogadas criativas em corridas, principalmente, com 3 OTs, 3 TEs etc ... e vencendo, tudo bem prá mim, pelo menos esse ano!

Podemos continuar vencendo: pegamos Colts e Jaguars (quinta que vem) em casa, Chargers fora ... são jogos vencíveis e eu espero que vençamos os três ... Se Mariota continuar jogando bem, temos chance ...

Sonhar, não custa nada ... Discutamos ...

Go Titans!

Titans a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)

Depois de algumas semanas, meu computador voltou à vida ... desculpem o hiato!


Tim Shaw, jogador do Titans de 2010 a 2012, servindo principalmente como atleta do time de especialistas, sendo capitão desse em 2011 e 2012. Em 2014 declarou que foi diagnosticado com ELA. No período de Training Camp, Shaw deu uma palestra no QG do time, o impacto nos atletas e comissão técnica foi grande e imediato. O front office, logo tratou de torna-lo um membro do Tennessee Titans para a vida toda.

Mike Mularkey, o Head Coach do time, então apresentou a ideia ao atletas dizendo que fará uma doação para a ALS Association (Associação que ajuda portadores de ELA a qual Tim Shaw é associado) a cada TD dos Titans cuja bola for doada a uma criança no estádio (em casa ou como visitante).
A instituição, Tennessee Titans, então disse que fará a mesma doação que Mularkey fizer, dobrando a colaboração para com a ALS Association ...

E é por isso que vemos hoje os nossos atletas, normalmente os OLs, entregando as bolas dos TDs às crianças do estádio, ajudando a sociedade e fazendo o dia dessas crianças um pouco mais feliz ...

Como não amar o Futebol Americano?

Go Titans!

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Jogo #4 - 2016 - Titans 20 x 27 Texans

Então ... mais um jogo apertado, consegui revê-lo hoje. E é notória a regressão na qualidade do QB Mariota.

É claro que falta talento nos WRs, mas era assim também ano passado, e ele ia bem ... pior, ano passado a OL não estava jogando tão bem e o jogo corrido era, de fato inexistente (Murray tem jogado bem demais).

É visível que Marcus Mariota não está confortável no novo sistema e isso é culpa dos técnicos. Sou da teoria que um forte jogo corrido terá vantagens sobre as atuais defesas, leves demais, da NFL, entretanto, se os times sabem que podem deixar os recebedores ilhados contra os CBs, eles colocarão muitos (normalmente, 8, 9 e até mesmo 10) defensores no box. Jogamos com formações fechadas demais (veja figura acima), com isso as defesas lotam o centro do campo. Têm menos áreas do campo a defender e são, teoricamente, mais efetivos contra o jogo corrido.

Essas formações fechadas também são ruins para passar, por que os adversários sabem as rotas serão, normalmente, para as laterais, então, posicionam os DBs negando-as, resultado, nossos WRs estão sempre bem marcados, dobrados pela linha lateral ou pelos Safeties/LBs no centro do campo. O QB não tem muito o que fazer ... não mesmo, a não ser jogar a bola prá fora ou correr pela vida. Acho que, diante desse cenário, Mariota tem tentado fazer algo acontecer, e, consequentemente, péssimas decisões são tomadas e o resultado é a confiança do nosso QB do futuro indo para o ralo ... claro que isso deve ir para a conta dos Técnicos. As chamadas ofensivas são horríveis!

A defesa não está comprometendo e é, de fato, junto com Murray (e OL), a razão pela qual estamos competindo até o último quarto nestes quatro jogos. Entretanto, Williamson está sendo morto pelos TEs, e contra os Texans não foi diferente. Outra coisa questionável é a estratégia defensiva, que na minha visão tem sido a seguinte: "Coloque em cheque o melhor jogador do time adversário, e teremos uma chance de vencer." ... no primeiro jogo matamos Adrian Peterson (média de jardas corridas menor que 2 - Riggs nos matou WR #14), contra o Lions fomos atrás do Stafford (sacks pressão de tudo quanto foi lado ...), contra o Raiders tiramos Amary Cooper do jogo (Crabtree WR  deitou e rolou) e ontem jogamos contra o Hopkins (Miller teve o jogo da carreira) ... precisamos jogar contra o ataque darmos uma atenção maior aos melhores jogadores, pq isso é NFL e alguém vai entrar no jogo e matá-lo se estiver livre. Mesmo assim, a defesa não está indo mal ...

As faltas ainda são um fator importante, demos quase 100 jardas em faltas.

E o Time de especialistas foi tão mal que o técnico, Bob April, foi demitido na última segunda. Tivemos uma falta de doze jogadores em campo que transformou um punt num field goal (3 pontos) e um punt retornado para Touchdown (7 pontos). Foram 10 pontos, cedidos pelo ST, que fizeram falta demais na conta final do jogo.

A verdade é que Mularkey não está indo bem e para que isso mude ele tem que entregar o time para Marcus Mariota, se não o fizer, não ganharemos 5 jogos nessa temporada ... Tá difícil de torcer ... 

Go Titans.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Jogo #3 - 2016 - Titans 10 x 17 Raiders

Depois de uma vitória heroica na semana 2 contra os Lions, com Marcus Mariota levando o ataque a uma campanha prá vencer o jogo no último minuto, caímos para o Raiders ...
O jogo em si, foi parecido com o jogo do Lions, o ataque só acordou no quarto quarto, a defesa, mesmo com alguns erros (principalmente com tackles perdidos) manteve o jogo apertado, e essa tem sido a vantagem do time, os atletas merecem crédito por manter um dos melhores ataques da NFL sem marcar pontos no segundo tempo, mas, sendo sincero, a secundária ainda é bem fraca, Crabtree e Carr torturaram nossa secundária o dia inteiro ... precisamos melhorar aí, e não acho isso possível esse ano com os atletas que temos. Outra coisa que precisa acontecer na defesa é transformar pressão em sack ... estivemos perto de sacar o QB do Raiders várias vezes, mas não saímos com nenhum sack, em três ou quatro ocasiões essa escapada resultou em jogadas de longa distância, isso é complicado, pq a secundária acaba ficando ainda mais exposta.
O ataque precisa colocar mais pontos no placar. Na minha opinião faltam dois WRs um Slot descente (que pode ser suprido com a volta de Kendall Wright) e um #1, que não temos no elenco, Tajae Sharpe é um bom #2, Rishard Matthews é #2 também. Delaine Walker fez falta, mas o seu substituto Jace Amaro não foi mal recebendo 3 bolas para 58 Jardas. O jogo corrido foi bem novamente, bem como os RBs fizeram um excelente trabalho recebendo a bola a partir do Backfield, entretanto, como não conseguimos fazer passes longos, eles têm que jogar contra 8, 9 defensores no box, mesmo assim, DeMarco Murray conseguiu as jardas difíceis, terminou com 114 jardas corridas (primeiro RB a passar de 100 jardas em um jogo do Titans desde Chris Johnson) e recebeu para 41 jardas.
Marcus Mariota precisa cuidar da bola melhor. Ele lançou duas interceptações, mas o que matou o time foi, novamente, um fumble sofrido e perdido por ele. Outra coisa que precisa melhorar é a bola funda nossos passes viajam, no máximo, 20 jardas, então a defesa não tem que cobrir muito campo, correr a bola é difícil em situações como essa, não sei como podemos resolver ... Outra coisa, acho que temos moutions e shifts demais, não sei até que ponto isso ajuda ou atrapalha nosso ataque a ideia é deixar a defesa fora de posição (ou pelo menos dar um pouco de trabalho para que eles estejam em posição), mas talvez, estejamos colocando os nossos atacantes fora de posição ...
Com tudo isso, faltando menos de um minuto estávamos com a bola do jogo nas mãos. André Johnson comete uma interferência no passe em um TD, obviamente anulado, e o Taylor Lewan, comete uma falta pessoal idiota, e uma jogada que seria primeira para o TD da linha de 5 se transforma em 1-10 da linha de 20 jardas ... As faltas, novamente (no jogo do Lions houveram muitas), foram um fator ... e o Lewan não pode fazer essas idiotices, ponto!
Em fim, não vamos resolver todos os problemas do time esse ano, é bom termos de volta o ataque corrido, uma defesa forte (não espetacular, mas forte) e um time que pode competir na liga. Faltam peças para que possamos voltar a estar entre os melhores, óbvio, mas acho que estamos no caminho certo. Semana que vem é em Houston, adoraria ganhar deles lá ... Oremos!

Titans 1-2
Rams 2-1

Titans (placar combinado): 2-4

Go Titans! 

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Jogo #1 - 2016 - Titans 16 x 25 Vikings

Já começamos com uma difícil, o QB titular (Bridgewater) do Vikings estava machucado e isso gerou uma esperança de vitória em nós, torcedores do Titans. Os técnicos tinham um plano: 1º - Paramos o Peterson (RB) e 2º - Pontuamos. É muito mais fácil falar do que fazer, entretanto, por incrível que parece, mantivemos Peterson em cheque. Ok, os recebedores (principalmente Diggs #14 e o TE Rudolph #82 - que, não sei por que cargas d'água estava sendo marcado por um CB), deitaram e rolaram na nossa secundária, que é, no mínimo, duvidosa e que, na minha opinião poderia funcionar, se tivéssemos algum pass rush, mas a verdade é que Hill (o QB reserva) não sofreu grandes pressões durante o jogo e foi para o vestiário limpinho.

Mesmo assim, se estes fossem os fatores do jogo, provavelmente, teríamos saído vitoriosos, mas ... Os Vikings possuem uma defesa muito, mas muito bem estruturada, e no segundo tempo eles aterrorizaram o nosso ataque, simplesmente não tivemos respostas para os dois TDs que essa defesa marcou, o primeiro em uma interceptação, bisonha de Marcus Mariota, e o segundo quando Mariota e Murray não conseguiram decidir com quem a bola ficava e a mesma foi para o chão ... o DE (Hunter) foi de moon walk para a red zone.

A verdade é que o time de Minnesota está bem à frente do Titans em seu desenvolvimento, e ganhar era um sonho, mas não rolou.

Começamos o ano 0-1 (na minha contagem 1-1, por que cada derrota do Rams é uma vitória nossa).

Pontos altos: OL foi melhor, houveram boas chamadas ofensivas, paramos o Peterson, fizemos um bom primeiro tempo, os calouros (Conklin [o melhor da OL], Sharpe, Henry [nos passes], Byard e Johnson) jogaram bem ...  
De Ruim temos: A secundária, a falta de pass rush (que pode piorar, caso a contusão na coxa do Derrick Morgan seja séria), Henry em terceiras descidas e o ataque aéreo anêmico (embora Sharpe tenha ido bem) ... esse último merece uma olhada mais cautelosa a partir da foto abaixo:


Observe que nenhum passe vai além das 20 Jardas. Como não existe bola longa no nosso ataque, as defesas podem colocara 8 ou 9 no box (próximos à linha de scrimmage), isso faz com que o nosso forte do ataque, o jogo corrido, tenha que enfrentar muito mais gente do que gostaríamos, se o front seven do adversário é bom, não tem corrida. Segunda consequência, na minha opinião, Tajae Sharpe é bom, mas ele não abre o campo por falta de velocidade, então ele recebe bolas na mesma região em que temos Delaine Walker recebendo, isso é bom, entretanto, se tivéssemos um WR que pudesse abrir o campo verticalmente, o trabalho desses recebedores de rotas intermediárias estariam facilitadas e nosso ataque seria um pouco mais dinâmico. Se o OC não arrumar isso, na minha opinião, nosso ataque está morto, por que teremos que jogar contra uma monte de gente no box e não teremos Murray e nem Henry correndo para milhões de jardas.

Mesmo perdendo, é bom ter a NFL de volta. Que venham os Lions ...

Go Titans!

sábado, 10 de setembro de 2016

Previsões para 2016

Chegou o momento de deixar o jornalismo de lado e vestir a camisa do Titans. Afinal, se a gente não acreditar nesta equipe, quem vai? No ano passado pensei que o nosso time venceria seis dos dezesseis jogos, porém terminamos o ano com apenas três triunfos, a pior marca da liga junto com o Browns. Vale ressaltar que o Mariota ficou de fora de quatro partidas. Com ele em campo, não seria absurdo imaginar o Titans com um recorde de 6-10.

Para 2016 sigo apostando em seis vitórias, mas com um peso totalmente
diferente. Além ter um calendário mais forte, o Titans vai encontrar uma AFC South bem mais encorpada. Na off season, os nossos três rivais conseguiram aprimorar os seus elencos de forma contundente. Não vejo vergonha alguma em voltar a ficar com mais derrotas que vitórias

Sendo realista, o Titans vence: Vikings (1), Raiders (3), Browns (6), Colts (7), Jaguars (8) e Texans (17).

Sendo otimista, o Titans vence: Vikings (1), Raiders (3), Dolphins (5), Browns (6), Colts (7), Jaguars (8), Bears (12), Broncos (14)  e Texans (17).

Sendo pessimista, o Titans vence: Vikings (1), Browns (6) e Jaguars (8)

sábado, 3 de setembro de 2016

Elenco Inicial de 53 Atletas ...

Novamente, Jon Robinson mostra uma abordagem diferente da que tínhamos visto nos últimos anos de GM no Titans, fechou (é possível que contratemos mais alguém domingo ou segunda) o grupo de 53 atletas na sexta feira (prazo era até sábado). As entrevistas já foram dadas, discussões estão a pleno vapor e amanhã o time começa a treinar focado no Vikings no domingo (11/09/2016) ...

Ataque (24)
QB (3) - Marcus Mariota, Matt Cassel, Alex Tanney
OL (8) - Taylor Lewan, Quinton Spain, Ben Jones, Chace Warmack, Jack Conklin, Dennis Kelly, Brian Schwenke e Sebastian Tretola
RB (4) - DeMarco Murray, Derrick Henry, Antonio Andrews e Jalston Fowler (FB)
TE (3) - Delaine Warker, Anthony Fasano e Phillip Supernaw
WR (6) - Rishard Matthews, Tajae Sharpe, Kendaw Wright, Andre Johnson, Harry Douglas e Tre McBride

Defesa (26)
NT (2) - Al Woods e Austin Johnson
DE (5) - Jurrell Casey, DaQuan Jones, Angelo Blackson, Karl Klug e Mehdi Abdesmad
OLB (5) - Derrick Morgan, Brian Orakpo, Kevin Dood, David Bass, Aaron Wallace
ILB (5) - Avery Williamson, Wesley Woodyard, Nate Palmer e Sean Spence
CB (6) - Jason McCourty, Perrish Cox, Brice McCain, Antwon Blake, LeShaun Sims e Cody Riggs
S (4) - Da'Norris Searcy, Rashad Johnson, Daimion Stafford e Kevin Byard

Especialistas (3) - Brett Kern, Ryan Succop, Beau Brinkley

Go Titans!




terça-feira, 16 de agosto de 2016

DGB é trocado para o Philadelphia Eagles


A reformulação do elenco do Titans tomou um rumo inesperado na manhã desta terça-feira, 16. Em negociação com o Philadelphia Eagles, o GM Jon Robinson optou por trocar o WR Dorial Green-Beckham pelo OT/OG Dennis Kelly, jogador que chega para o lugar do contundido Byron Bell, antigo reserva imediato dos OTs titulares.

Quando o veterano Andre Johnson foi contratado, escrevi que DGB faria parte do grupo de WRs do time após o corte final do training camp, porém o que ele mostrou em campo e fora dele não animou ninguém em Nashville. O jovem até chegou mais leve para os treinamentos, mas, ao que tudo indica, não nas condições exigidas pela direção. Durante os treinos, ele voltou a mostrar muita inconsistência, seja correndo rotas ou agarrando alguns passes tranquilos. Já na estreia da equipe na pré-temporada, ele foi visto apenas quando os reservas entraram em campo. Terminou a partida com um passe recebido, um ótimo bloqueio em uma corrida e uma rota bastante ruim. Uma reação pífia para alguém que perdeu a titularidade ainda nos OTAs. A verdade é que DGB, caso sobrevivesse ao corte, seria o último WR no depth chart.

Eu gosto desse move porque ele mostra que agora a franquia não tem jogadores intocáveis. DGB foi a 40ª escolha do draft de 2015, quando muitos times deixaram ele passar por conta de seu histórico no college, mas o Ruston Webster acreditou em seu potencial físico. Anteriormente eu falei sobre a diferença na mentalidade dos dois GMs. Robinson logo de cara se mostrou inclinado a levar em conta o que um atleta realiza dentro de campo, enquanto Webster gostava de jogadores com grandes habilidades atléticas. Quem está certo? É difícil dizer, mas o retrospecto de Webster é fraco. Assim como DGB, Bishop Sankey, Justin Hunter e Zach Brown foram péssimas escolhas na segunda rodada. Essa é uma parte do draft que você precisa acertar em cheio, e ele nunca passou perto disso.

E agora? Como fica a situação dos WRs? Eu aposto em Rishard Matthews, Tajaé Sharpe, Kendall Wright e Andre Johnson garantidos no elenco. O veterano Harry Douglas vai brigar pela última vaga com Tre McBride e Justin Hunter, com o último correndo muito por fora.

Esse não é primeiro caso de um WR promissor que não vinga em Tennessee. Sob a tutela dos GMs Floyd Reese, Mike Reinfeldt e Webster, Tyrone Calico, Kenny Britt, Hunter e DGB falharam. Será que o nosso grande acerto será Sharpe, um jogador que chegou sem causar nenhuma expectativa?

sábado, 13 de agosto de 2016

O que observar no primeiro jogo do Titans na pré-temporada


O esperado retorno do Titans ao gramado do Nissan Stadium acontece neste sábado, 13, a partir das 21h (horário de Brasília). O adversário da equipe na estreia da pré-temporada é o San Diego Charges, nosso verdadeiro carrasco nos últimos anos e futuro oponente na week 9 da temporada regular. A partida será uma “pelada”, mas há algumas coisas interessantes para observamos.

Do lado inimigo, vai ser curioso ver o retorno de Ken Whisenhunt a Tennessee. Novo-velho coordenador de ataque do time californiano, ele deixou o comando do Titans após registrar um péssimo recorde de 3-20. No palco desta partida, ele teve apenas uma vitória em 12 partidas. Pífio! Em entrevistas aos jornais de Nashville, Whiz disse que vai ser difícil rever os seus ex-comandados. Isso não é mistério para ninguém, afinal, ele foi o cara que bancou a escolha do Mariota no draft. Não deve ser nada legal ver a sua aposta dando muito certo e você em um cargo inferior. Os torcedores do Charges vão ver esse duelo com o coração apertado. Quando o elenco entrar em campo, Joey Bosa, terceira escolha do draft de 2016, vai estar em casa jogando Madden NFL. Essa situação desagradável não acontecia há um bom tempo e nunca é bom.

E do nosso lado, a expectativa é por uma boa atuação dos calouros Derrick Henry, Tajae Sharpe e Jack Conklin. O primeiro deve ter várias carregadas, uma vez que o HC Mike Mularkey afirmou que não pretende deixar o RB titular DeMarco Murray passar muito tempo em campo. O mesmo deve acontecer com o veterano Andre Johnson. Já Sharpe vai ter a oportunidade de mostrar que a sua titularidade é merecida. Em conversa com o blogger Paul Kuhasky, da ESPN, ele disse que dropou apenas um passe no training camp. Para termos uma ideia dessa ótima estatística, Delanie Walker chegou a deixar três bolas caírem em dois dias. Outro destaque dos treinos, Conklin vai começar a partida como RT titular, ao lado de Warmack (RG), Bem Jones (C), Quinton Spain (LG) e Taylor Lewan (LT). O quinteto para a estreia na temporada regular deve ser esse, não porque Spain vem jogando muito, mas por causa do desempenho fraco dos outros guards. Segundo os setoristas do Titans, até o momento, a comissão técnica não ficou impressionada com o que os reservas mostraram.
Minha expectativa para a defesa não é muito grande. Nessa época do ano, os ataques não mostram nada do que vão usar na temporada. Os rookies estão jogando bem e tem tudo para ajudar o time ao longo de 2016, porém não se entusiasme com o que aprontarem diante do Charges.

TITANUP!

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Brice McCain e Perrish Cox brigam por vaga no time titular

Recuperado de uma série de lesões na virilha, o CB Jason McCourthy está de volta ao time titular do Titans, mas ao lado de quem? Nas duas primeiras atividades da equipe, Brice McCain e Perrish Cox dividiram snaps entre os titulares. Estamos falando de dois jogadores comuns, que “não tem bola” para assumirem essa missão, porém é o que temos para 2016. Vimos uma secundária ainda pior do que essa segurar o excelente ataque do Saints fora de casa. Aposto que esse é o plano de Dick LeBeu para a temporada. Bastante pressão no QB para aliviar a vida da secundária, seja com várias blitzes ou com os edge rushers.

O elenco em 2016 está muito mais encorpado. Se Brian Orakpo ou Derrick Morgan sofrerem com contusões, temos Kevin Dodd, Deiontrez Mount e David Bass. A linha defensiva também vem forte. Além de Jurrell Casey e DaQuan Jones, Angelo Blackson e Al Woods estão de volta. Os calouros Antwaun Woods e Austin Johnson vem treinando muito bem, o que é raro para DLs logo no início do spring trainning.

A defesa não me preocupa. Com LeBeu chamando as jogadas, acho que vamos limitar bastante as big plays, certamente o calcanhar de Aquiles do time em 2015.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Tajae Sharpe segue treinando entre os titulares


A primeira história interessante do Titans na temporada está sendo escrita pelo WR calouro Tajae Sharpe (UMass). Titular no minicamp, o jovem de apenas 21 anos atuou ao lado de Rishard Matthews nos primeiros treinos do trainning camp, com Kendall Wright atuando no slot.

Sharpe não é um atleta explosivo, mas ele compensa essa “falta” de velocidade com muita precisão nas rotas e ótimas mãos. Em 2015 nós vimos o Mariota sofrer bastante com um grupo de WRs incapaz de estar no lugar certo. Por isso o rookie não precisou suar muito para ganhar espaço entre os titulares.

É muito cedo para dizer que Sharpe será o nosso steal no draft. Como já foi dito, a concorrência é fraca e ele está se aproveitando disso. Récem-contratado, Andre Johnson também se destacou nos treinos, o que deixa as sobrevivências de Harry Douglas e Justin Hunter no elenco por um fio.


A chegada de Sharpe ao Titans significou uma mudança na estratégia para o draft. Ao contrário do que vimos entre 2012 e 2015, quando Ruston Webster tinha o controle das escolhas, agora o Titans, com Jon Robinson, privilegia a produtividade no college, não as habilidades físicas. No ano passado, Sharpe teve 111 recepções, a melhor marca entre todos os WRs da primeira divisão na NCAA.

sábado, 30 de julho de 2016

Andre Johnson é do Titans!


Por essa ninguém esperava. A menos de 24 horas para o início do primeiro treino da temporada 2016, o Titans anunciou a contratação de Andre Johnson, certamente um dos cinco melhores WRs da NFL nos últimos dez anos. O mais surpreendente de tudo é que o veterano assinou por dois anos. Ou seja, ele tem 95% de chances de sobreviver ao corte final do trainning camp. Pelas minhas contas, Harry Douglas, Justin Hunter, e Tre McBride brigam por apenas uma vaga no elenco de 53 jogadores, já que Johnson, Rishard Matthews, Kendall Wright, Tajae Sharpe e DGB estão garantidos.

O Titans se reuniu com Johnson no início da semana e, obviamente, gostou muito do que viu. Além de botar fogo no trainning camp, o GM Jon Robinson adicionou experiência a um grupo bastante jovem. O veterano não tem mais a velocidade do início da carreira, mas segue com mãos muito seguras. Mais uma vez eu vejo o front office trabalhando forte para combater a mais deficiência do Titans em 2015, as conversões de terceiras descidas.


Com Johnson no Titans, acho que pela primeira vez vou ver um grande jogador da Universidade de Miami na franquia.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Training Camp Time ... YESSSSSS!

Amanhã, dia 29 de Julho, os atletas se reapresentam em Tennessee e dia 30 de Julho, sábado, tem início o Training Camp (época em que os treinos se intensificam pouco antes do início da temporada). O Training Camp é a época do ano que conseguimos mais informações sobre o time em si, por existir um conjunto de treinamentos abertos ao público. Ano passado partes generosas dos treinos foram transmitidas ao vivo no site do Titans, vale a pena conferir.
Há uma série de incertezas em um Titans em construção, mas gosto do nível de competição instalado pelo GM (John Robinson), que trouxe bons atletas nessa off season, é evidente que ainda não temos um time de playoffs, mas como torcedores, arrumamos sempre uma maneira de ter esperança ... Enfim: O que observar no Training camp?
1 – Secundária: Ao contrário do que muita gente pensa, nossa defesa não foi tão mal, houveram dois problemas – a: Big Plays – quando o CB Jason McCourty se machucou, tomamos várias big plays pq os substitutos não estavam a altura; McCoutry está 100% saudável e outros CBs foram adicionados à competição. É importante dizer que, finalmente, Michael Griffin, foi errar tackle e posicionamento em outro time; b: Pass Rush: Quando Derrick Morgan se machucou, perdemos sua eficiência e a produtividade de Orakpo (que jogava no mano x mano) do outro lado, despencou; Morgan e Orakpo estão de volta, formando uma boa dupla de pass rushers, e prá garantir, o GM trouxe Kevin Dodd, que deve ser bom também. O front seven (DL + LB) é bom. Se a secundária acertar, podemos voltar a ser uma defesa top 10 na NFL.
2 – WRs: Esse é, facilmente, o grupo mais fraco do time. Parece que o novato Tajae Sharpe está fazendo um bom trabalho, trouxemos também Rishard Matthews, e vale ficar de olho no desenvolvimento de DGB. Mas, verdade seja dita: esse corpo de WRs não põe medo em ninguém! Precisamos que alguém se desenvolva nesse grupo, ou Marcus Mariota vai sofrer. Minhas moedas estão em DGB, o retorno aos bons tempos de Wright, um Homerun com o Matthews e o desenvolvimento instantâneo de Sharpe.
3 – Mariota: Como é a transição de Marcus Mariota para o segundo ano em um sistema, teoricamente, mais simples e favorável às suas habilidades?
4 – OL: Quem é o Left Guard? Como nossa primeira escolha do Draft (RT - Jack Conklin) se desenvolve? Ben Jones (o Center) consegue comandar a OL de forma satisfatória? Que impacto de Russ Grimm (novo técnico da OL, que está no Hall da Fama da NFL) exerce em Chance Warmack e Taylor Lewan (que eram treinados por um ex linebacker de College)?
5 – O Jogo corrido vai ser isso tudo mesmo?
6 – As brigas ... ehehehehehe Karl Klug (DE) nunca decepciona nas brigas ...

É claro que o resultado destas observações só serão vistas, de fato, no dia 11 de Setembro, mas, fazê-las e observar como o processo se dá, já nos deixa mais próximo do Futebol Americano ... Oremos por um bom time!

Go Titans!

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Acabou a era Zach Mettenberger


A NFL é uma liga feroz, amigos. Há 13 meses, vários setoristas do time defendiam a escolha de Leonard Williams no draft de 2015, uma vez que o então promissor Zach Mettenberger podia dar conta do recado. Após uma ótima atuação na pré-temporada de 2015, o discurso era de que ele seria uma boa moeda de troca, porém, na tarde desta segunda-feira, ele deixou o clube. Rumores dizem que o Titans tentou trocá-lo, mas ninguém manisfestou interesse.

Muitos torcedores lamentaram a saída do Mettenberger, mas é pra tanto? Como  disse Paul Kuharsky, da ESPN, por que os fãs em Tennessee abraçam tanto os jogadores medíocres? Mettenberger perdeu os dez jogos que foi titular, sendo que nessas dez partidas, o QB de LSU lançou ao menos uma interceptação. Em seu primeiro jogo na última temporada, o Titans saiu com a derrota após sofrer apenas dez pontos do Falcons. No último drive dos dois tempos, Mettenberger lançou interceptações imbecis, que custaram ao time no mínimo seis pontos.

Em Nashville Mettenberger mostrou muito braço, pouca precisão, mobilidade nula e nenhuma maturidade. Depois de passar meses dizendo que derrotaria Marcus Mariota ou Jameis Winston, esse cara pediu pra ser trocado antes do draft. C’Mon, Man!

Jay Cutler é um QB vibrante perto do Mettenberger. Chega de selfies e ajeitadas no cabelo.


Os atuais backups do Mariota, Matt Cassel e Alex Tanney, não são grandes alternativas, mas no momento, eles têm mais a oferecer a franquia. 

sábado, 30 de abril de 2016

Bem vindos ao Tennessee Titans

Na minha opinião Jon Robinson foi bem no seu primeiro draft com o time. Vamos ver como isso se traduz em campo ... Dê uma olhada, tire suas próprias conclusões, e, não menos importante: deixe aqui sua opinião.

1º round - pick #8: Jack Conklin - OT - Michigan State


2º round - pick #33: Kevin Dodd - OLB - Clemson


2º round - pick #43: Austin Johnson - DT - Penn State


2º round - pick #45: Derrick Henry - RB - Alabama


3º round - pick #64: Kevin Byard - S - Middle Tennessee State University


5º round - pick #140: Tajae Sharpe - WR - Massachussets


5º round - pick #157: LeShaun Sims - CB - Southern Utah

6º round - pick #193: Sebastian Tretola - OG - Arkansas (olhe para o #73 abaixo)


7º round - pick #222: Aaron Wallace - LB - UCLA


7º round - pick #253 - Mr Irrelevant: Kalan Reed - USM


No fim, todas as necessidades foram atendidas, alguns jogadores eu não conhecia, mas gostei da maioria dos vídeos. As quatro primeiras escolhas são de jogadores que dificilmente não serão titulares nesse time em um ou dois anos. O S parece um líder, só não sei se ele jogará bem na NFL. Esse WR corre boas rotas, o CB é uma incógnita prá mim. Tem um vídeo de UCLA contra Cal, que Aaron Wallace saca o Pick #1 (Goff) 3 vezes, ele é para terceiras descidas, mesmo assim, gostei.

Vamos ver como acontece com o Free agency a partir de amanhã.
Deixe sua opinião!

Titans Up!

Go Titans!

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Saiu o calendário da temporada 2016



E aí? Acharam tranquilo? Após o draft faço a minha previsão.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Titans troca o first pick do draft 2016

A duas semanas do draft, o Tennessee Titans e o Los Angeles Rams resolveram agitar o evento mais importante do primeiro semestre. Na manhã de hoje, as duas franquias anunciaram uma troca envolvendo o first pick do recrutamento. Em busca de seu franchise QB, o time californiano enviou para Tennessee os seguintes picks:

Draft 2016:

First round – 15º

Second round – 43º e 45º

Third round – 76º

Draft 2017:

Picks do first e third round

Além do first pick, o Rams ficou com as nossas escolhas na quarta e sexta rodadas.


Essa é uma troca que muda franquias. Jon Robinson mostrou com esse move que acredita em seu potencial. Muitos GMs ao longo dos últimos 17 anos receberam propostas bem tentadoras, mas eles arregaram. Escolher o primeiro jogador é muito mais fácil que acertar em vários picks ao longo do draft, mas a recompensa nem sempre é tão boa assim. O Titans não está deixando de escolher os novos Anthony Muñoz e Deion Sanders. Tunsil e Ramsey são grandes prospectos, mas não valem um first pick. Robinson vai ter seis das primeiras 76 escolhas no recrutamento. Dá para fazer um estrago com esse material. Se ele conseguir, o Titans passa a ser outra franquia.

sábado, 12 de março de 2016

As primeiras contratações do Titans no free agency


Apesar de ter bastante dinheiro para investir no free agency, o Titans foi um dos coadjuvantes na loucura que foi o início desta semana. Enquanto inúmeras franquias derramavam rios de dinheiro, Jon Robinson optou por contratações pontuais. Para o nosso GM, cercar Marcus Mariota de jogadores mais experientes e de boa qualidade foi a prioridade. Veja quem chegou para o ataque da franquia:

WR Rishard Matthews (Dolphins): Três anos, US$ 15 milhões com US$ 2,5 milhões garantidos

Acho que essa foi a nossa principal contratação. Confesso que fiquei preocupado na quarta-feira, uma vez que o mercado estava ficando sem bons nomes e o Titans não agia. Segundo alguns relatos, Robinson conseguiu roubar Matthews do Patriots, o que sempre é bom. Estamos falando de um jogador que teve números modestos em suas primeiras três temporadas, mas que em 2015 mostrou muito potencial. Ele destruiu o Titans naquela tranquila vitória do Dolphins no Nissan Stadium. Apesar de não ser um velocista, Matthews tem uma ótima média de jardas por recepção. Lançando em sua direção, Ryan Tannehill conquistou um rating acima de 120. Acho que não é um jogador capaz de ser o WR número 1, mas certamente vai ser titular ao lado do DGB.

C Ben Jones (Texans): Quatro anos, US$ 17,5 milhões com US$ 7,5 millões garantidos

Antes mesmo do início do free agency, os setoristas do Houston já colocavam Jones no Titans. Ele não é um dos melhores centers da liga, mas foi titular do nosso rival durante os dois últimos anos, quando a franquia teve uma média de 121 jardas corridas por jogo. Acho que vai brigar com Brian Schwenke pela titularidade. Caso leve a pior, deve jogar de guard.

QB Matt Cassel (Cowboys): Um ano

Atuando como titular, Zach Mettenberger tem dez derrotas em dez partidas. Está aí o motivo do Titans contratar Matt Cassel. Não é o QB veterano que eu gostaria de ver ajudando o Mariota, mas é melhor contar com ele do que com o Mettenberger. Impressiona como o ex-QB de LSU perdeu prestígio na liga. Antes do início da última temporada, muitos falavam em uma boa troca envolvendo o Mettenberger, já hoje eu acho que talvez ele nem consiga um novo contrato na NFL.


O FS Rashad Johnson (Cardinals) visitou o Titans nesta sexta-feira e o OG Louis Vasquez (Broncos) deve ir a Nashville no fim de semana. São veteranos interessantes, mas nada de muito especial. Vasquez seria uma contratação excelente há alguns anos, porém o joelho do bloqueador preocupa.

terça-feira, 8 de março de 2016

O que o Titans precisa fazer no free agency


Chegamos oficialmente ao início da temporada 2016. A partir dessa segunda-feira, 7, as franquias podem começar a entrevistar os jogadores que vão ficar sem contrato na próxima quarta-feira. Com um espaço de US$ 47 milhões de dólares em sua folha salarial, o Titans tem tudo para ser um dos times mais ativos. Equipe de pior campanha em 2015, nós temos várias posições urrando por novos titulares. Acho que para 2016, o elenco precisa de novidades nas seguintes posições: WR, OT, OG, C, NT, CB e S. São sete posições que precisam de ajuda via free agency e draft.

Veja quem o time deve contratar via FA:

Center Alex Mack (Cleveland Browns)

Jogadores do nível de Mack não costumam ficar sem contrato. Depois de defender o Browns por sete temporadas sem nunca ter disputado uma partida de playoffs, o veterano de 30 anos resolveu testar o mercado. Será cobiçado por muitos times, muitos deles com bastante dinheiro para gastar. Essa será uma das brigas mais duras que Jon Robinson vai enfrentar no free agency. A experiência e a saúde de Mack justificam todo o esforço necessário para contar com os seus serviços. Ele tem a liderança que o Titans procura para a sua jovem OL.

Guard Jeff Allen (Kansas City Chiefs)

A linha do Chiefs abriu espaços para todos os RBs da franquia. Quando muitos pensavam que a temporada do time havia acabado com a contusão de Jamal Charles, Allen e seus companheiros mostraram que o jogo terrestre podia funcionar com os seus esforços. Estamos falando de um jogador novo, com apenas 26 anos e quatro anos de experiência. Kelechi Osemele e Richie Incognito são nomes com um peso maior, mas com por conta do mercado inflacionado, eles não devem estar no radar do nosso GM.

Safety Tashaun Gipson (Cleveland Browns)

Gibson é o típico jogador que você precisa olhar com muita atenção. O safety do Browns foi um dos destaques da equipe em 2014, quando chegaram a sonhar com os playoffs, mas na temporada seguinte, assim como a estrela da defesa, o CB Joe Haden, ele foi um desastre. Será que um ano ruim apaga uma carreira promissora? Eu acho que não. Há muitos safetys bons disponíveis, e eu acho que Gibson pode ser contratado por um preço bom.

Cornerback Sean Smith (Kansas City Chiefs)

Jogador mais experiente, que se saiu muito bem no Dolphins e no Chiefs. Ainda é muito rápido e atua nas laterais do campo. Pode ser o parceiro que o Titans procura para o Jason McCourthy desde que o Alterraun Verner deixou a franquia.

Nose Tackle Al Woods (Tennesse Titans)

Não acho que o Titans precise de muito investimento nessa posição. A DL do time é forte, conta já com um jogador de Pro Bowl (Jurrell Casey) e outro bastante promissor (DaQuan Jones). Woods se saiu bem quando jogou de titular na última temporada. É mais novo que o Sammie Hill, por isso prefiro que a franquia renove com ele.

segunda-feira, 7 de março de 2016

DeMarco Murray é do Titans


Enquanto eu finalizava um texto sobre as contratações que eu gostaria de ver o Titans fazendo no free agency, veio a bomba. DeMarco Murray é do Titans!!!!

Acho que nenhum torcedor do Titans esperava essa troca. Ainda não divulgaram a compensação que o Eagles vai receber, mas sabemos que o péssimo contrato do Murray vai ser reestruturado.

Depois de ver Antonio Andrews, Bishop Sankey e Dexter McCluester correndo com a bola, o torcedor do Titans finalmente vai ter um RB capaz de carregar o jogo terrestre do time. Murray foi muito mal na última temporada, mas naquela bagunça que era o Eagles, com um esquema ofensivo que não lhe ajudou muito, não dá para condenar o melhor corredor da NFL em 2014.

Com Murray, o Titans vai corrigir um problema que assola a franquia há anos: as conversões de terceiras e quartas descidas para poucas jardas. No ano passado, Murray teve 15 carregadas em 3rd e 4rd downs para uma ou duas jardas. Ele converteu todas, já os RBs do Titans conseguiram o first down em apenas 37% das vezes.

Mularkey gosta desses RBs north/south. Ele fez do Michael Turner um all-pro. Acho que o Murray vai voltar a ter um HC que explore o seu estilo de jogo.

Robinson disse que uma de suas prioridades na off season é ajudar o time a ficar em campo nas terceiras descidas. Com Murray carregando a bola, acho que o Mariota vai jogar um pouco mais

TITANSUP!