domingo, 27 de setembro de 2015

Titans 33 x 35 Colts - Tem que querer!!!!

Normalmente eu assisto o jogo novamente antes de escrever, não vou fazê-lo prá não deixar o sangue esfriar ... 
NÃO SE GANHA NO TERCEIRO QUARTO UM JOGO DE MENOS DE DUAS POSSES! COACH STAFF, ISSO É NFL, NFL!
Não sei a quanto tempo não temos uma chance tão boa de ganhar dos Colts, de forma marcante e, dessa vez, acho sinceramente que os nossos técnicos entregaram o jogo. Você pode pensar: "Mas, Marcus Mariota entregou duas interceptações cruciais!", eu diria uma! As chamadas do fim do terceiro quarto até a virada, tanto ofensivas quanto defensivas eram de alguém que estava certo da vitória.
A Defesa parou de pressionar o Luck, deixaram o TE #80 correr livre em cima dos "maravilhosos" tackleadores Brown e Griffin (que novamente deu um passo para o lado errado no último TD dos caras) cedemos um TD de passes curtos, a defesa entregou o TD, e logo em seguida Mariota lançou a interceptação!
Você tem que pressionar, você tem que jogar até o apito final! 
No terceiro quarto tínhamos a bola a uma jarda do TD, chamamos 3 corridas, sendo que os passes em estavam entrando, cara, passa a bola e que Deus nos ajude, seja imprevisível, ali me parecia um time de Jeff Fisher, naquele lance em que chutamos um punt quando deveríamos fazer um TD, comecei a pensar que poderiamos perder (com 13 pontos de vantagem) por que não vi VONTADE e CORAGEM na comissão técnica para fechar o jogo nas chamadas! VOCÊ TEM QUE CONFICAR NO SEU TIME!
Estávamos em uma terceira e vinte para os caras, na linha de 35 jardas, jogando Cover Two, como Michael Griffin, tenta antecipar um passe desses ele dá dois passos para a lateral e o Luck manda uma bomba no centro, Huff tinha perdido na corrida e nosso time com DOIS safeties no fundo não foi capaz de fazer uma cobertura, uma dobra. Me ajudem galera!
É lógico que sabíamos que esse seria um jogo difícil, mas um time vencedor, tem que ser matador. Se ele vê a chance de vencer, ele vence! Não fica jogando Prevent, no início do quarto quarto. Você RESPEITA O SEU ADVERSÁRIO, ainda mais quando o adversário é, teoricamente, melhor que você! Não pode dar chance, por que o seu adversário vira o jogo, e isso é uma coisa que o Luck faz muito bem!
Não me entendam mal, houveram boas coisas nesse jogo (os novatos [Galik e Poutassi na OL. os TDs de Fowler e DGB, Mount pressionando o QB], a dominância parcial, que eu não via a muito tempo sobre os Colts etc) mas a forma que perdemos esse é de tirar o sono!
Podíamos ter ganho mas acho que os Colts estavam com mais vontade, e, mesmo alguns não gostando, os técnicos deles fizeram um trabalho melhor do que os nossos (nem quero falar do time de especialistas que é extremamente mal treinado).
Semana que vem é de descanso ... voltamos dia 11 de outubro contra os Bills ...

Go Titans! 

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Jogada da Semana - 2 de 2015

Então, daqui vem uma das minhas críticas à defesa e/ou ao Michael Griffin. Estamos em uma segunda para 8 na linha de 40 jardas do ataque (Figura 1). Os Browns atacam com o pessoal 21 (dois RBs e um TE) - eles alinham em Pro Set (RB a sete jardas da linha de scrimmage [LOS] e FB a quatro jardas da LOS entre Guard e Tackle). Os Titans respondem com sua formação base 34 (três DLs e quatro LBs) - Cover 2 (dois Safeties ao fundo) os CBs marcando homem x homem. Coty Sensabaugh (CB abaixo na Figura 1) marca Travis Benjamin (WR #11) com outside leverage, ou seja, ele se posiciona dando o centro do campo para o WR, isso sugere (não tem como garantir) que ele espera ajuda o Safety no fundo/centro.


A Figura 2 apresenta a movimentação pós snap, compare as figuras e veja que Michael Griffin andou duas jardas para frente, e continua lendo o QB.


Olhando a Figura 3, temos os LBs marcando TE, FB e RB a impressão que tenho é que os Safeties têm duas responsabilidades a partir da leitura do QB: jogar contra a Corrida ou Ajudar o CB do seu lado. Aí é o problema, Griffin demora demais para identificar passe e quando o faz, já está batido no lance.


Temos sete jogadores contra o passe, entretanto, os dois únicos que, de fato, importam, estão batidos (Figura 4), Sensabaugh pela velocidade de Benjamin e Griffin pela falta de disciplina/posicionamento pré snap. 



A Figura 5 (a) mostra que a cobertura de Sensabaugh não estava assim tão ruim, e a Figura 5 (b) mostra que ele virou para o lado errado, e com isso não conseguiu fazer a jogada na bola. É importante notar que o pocket está bem limpo, o único defensor que chega perto de Manziel é o #90 Jones (DE).


Griffin totalmente fora da jogada, Sensabaugh batido, belo arremesso de Johnny Football, excelente catch de Benjamin ... Touchdown Browns.


Abaixo o video da jogada.


Olha o Griffin saindo da posição ...


A defesa não jogou mal, mas tomamos duas bolas destas, bem parecidas, [no segundo passe longo, o Titans posiciona Griffin na LOS mostrando Cover 0 (sem ajuda do Safety) desde o início, nessa jogada Orakpo chega no QB, mas Johnny Manziel faz um movimento de corpo e está livre prá lançar (tem um holding criminoso em cima do Griffin, mas a arbitragem não deu) - TD de 50 jardas para Benjamin]. A verdade é que a nossa DB é duvidosa demais para marcar homem x homem, e indisciplinados demais para marcar zona ... espero que McCourty volte logo, ou vamos tomar algumas jogadas profundas essa semana!

Go Titans!


terça-feira, 22 de setembro de 2015

A torcida precisa jogar junto

Há um bom tempo quero escrever sobre um jogo muito simbólico. Em 1999, primeiro ano do Titans no Nissan Stadium, na época Adelphia Coliseum, o Rams de Kurt Warner, Marshall Faulk, Orlando Pace, Torry Holt e Isaac Bruce foi massacrado por uma torcida que não calou a boca um só minuto. Quando assisti este jogo no Youtube pensei: Por que não é sempre assim?

Não sei o motivo, mas acho que este ano poderemos voltar a ter o 12º jogador ao nosso lado, e como vimos no último domingo, o baralho da torcida atrapalha e muito.

Com Mariota em campo, espero que o torcida se sinta mais uma vez parte desta equipe, e que juntos possamos vencer o Colts, time que não derrotamos desde que Matt Hasselbacks era o nosso QB.


Veja a nossa épica vitória contra o Rams:

https://www.youtube.com/watch?v=RczV1tE0Qao

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Os piores na week 02

A primeira derrota do ano veio no estilo 2014: muitas faltas, tournovers e pouca inspiração. Durante os dois primeiros quartos do jogo desse domingo, Tennessee não viu a cor da bola contra os Browns. Além de ceder dois TDs nas primeiras campanhas de seu oponente, o Titans pouco moveu as correntes no ataque. Mariota foi pressionado em praticamente todas as jogadas, e o jogo terrestre, apesar de funcionar, pouco foi utilizado. Perder por 14x0 no minuto final estava de ótimo tamanho, porém Whiz fez das suas e tentou diminuir a vantagem, quando o ideal seria aceitar a surra. Essa péssima decisão acabou custando mais sete pontos, vantagem que dificilmente se tira nesta liga.

Veja  quem se destacou negativamente na week 02.

Zach Brown:

De todas as faltas estúpidas no primeiro tempo, foram várias que nos custaram 85 jardas, a do Brown selou a nossa derrota na partida. Você não comete faltas em uma 1&25!!! É o básico!!! Defesa poderia ter transformado um tournover em punt, porém a campanha do Browns acabou em TD

Jeremiah Poutasi

Eficiente no jogo terrestre, porém péssimo na proteção do Mariota. Em uma jogada ele sequer encostou no DE do Browns. E vale o registro: na week 01, a defesa do browns não conseguiu nenhum sack!!!! Somente o Poutasi permitiu quatro. Dos sete sacks que o Mariota sofreu, somente dois vieram em jogadas com blitz, ou seja, a OL perdeu o confronto contra a DL adversária.


Gostei de: Al Woods, Dexter McCluster, Brian Orakpo e   Antonhy Fasano

Titans 14 x 28 Browns

Dia difícil no escritório para dois calouros, Poutasi, e Mariota. Esses sofreram com o Pass Rush dos Browns. O coordenador defensivo de Cleveland alinhou diferentes tipos de jogadores em cima do RT calouro, deu um monte de visões diferentes a Marcus Mariota e obteve muito sucesso, na verdade, a OL jogou foi totalmente dominada pelo esquema de pressão dos Browns, foram 7 sacks e 11 hits (batidas) em Mariota.
Mariota não estava bem. Mesmo com uma folga considerável, errou alguns arremessos que ele teria que converter. No segundo tempo ele melhorou um pouco, mas a verdade é que a defesa dos Browns foi demais para ele (voltarei nisso mais tarde).
A defesa não foi mal, mas cedeu duas jogadas cruciais dois lançamentos longos para o Johnny Football torturou nossa secundária, a primeira o meu querido Michael Griffin (Safety), foi jogar contra a corrida, mas era passe (play action) e boom passe de 60 jardas numa cobertura homem a homem, na qual o CB vira para o lado inverso da jogada. No segundo tempo quando tentávamos a volta no placar, numa terceira para 10, nosso coordenador defensivo manda nove defensores, inclusive os Safeties, atrás do Manziel, resultado CBs no mano a mano, boom passe de 50 jardas. Não se engane com os números, Brown continua fazendo jogadas idiotas e perdendo Tackles, hoje quase quebrei a televisão quando em uma primeira para 25 ele me pega a máscara do OL, primeira descida automática para os caras. Mas, em linhas gerais a defesa manteve o placar baixo, e deu uma chance para o time voltar no segundo tempo.
O Time de especialistas não melhorou com relação ao ano passado. Assistindo o jogo da semana passada e revendo o jogo de hoje, acho que tomaremos uns TDs na temporada por que falta velocidade. No fim do segundo quarto, Brett Kern faz um punt para 60 jardas, Travis Benjamin (que já tinha pego o TD de 60 jardas) e só para na End zone, fazendo 21 x 0 no primeiro tempo.
No intervalo os técnicos ajustaram o time um pouco melhor, e fizeram o que um time com um QB calouro deveria fazer: Fisherball (os antigos entenderão), corre, corre e se der corre na terceira descida, quando o jogo corrido começou a entrar diminuiu um pouco a pressão no QB, prá mim esse foi o maior erro, o game plan estava errado, tínhamos que correr a bola desde o início do jogo e assim teríamos uma chance.
Não foi de todo ruim, Mariota mesmo com nas adversidades, conseguiu fazer algumas jogadas (dois TDs) mesmo se machucando no inicio do jogo: Al Woods jogou bem demais, Casey foi bem, Morgan e Orakpo também jogaram bem. McCluster, pela primeira vez honrou o bom contrato que recebeu do time, correu para 98 jardas e recebeu para 26, se continuarmos a usá-lo dessa forma, será um bom ataque, Delaine Walker fez falta, mesmo assim, os TEs receberam para 110 jardas (TD de Fasano). O FB Jalston Fowler, conseguiu dois first downs, sendo um deles uma screen para 19 jardas, DGB fez seu primeiro TD em cima do Haden, muito grande o Garoto.
Gostaria que o time tivesse um plano melhor que esse, por que dava prá ganhar esse jogo!
Semana que vem é contra os Colts.
Go Titans!

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Jogada da Semana - 1 de 2015

Iniciamos esta série em 2014 tentando trazer uma visão mais detalhada de uma jogada por semana, retornemos à mesma.

A jogada de hoje é o passe para Touchdown (TD) de 52 jardas, de Marcus Mariota para Kendall Wright. Era uma primeira para 10 na linha de 48 jardas da defesa. A figura 1 apresenta a formação dos atletas em campo:


O Titans coloca em campo o pessoal 21 (dois RBs e um TE). Mariota está no Shotgun (5 a 7 jardas atrás da linha de scrimmage) com a formação split backs (RBs posicionados em cada um dos seus lados), Kendal Wright está no slot (entre a OL e a extremidade do campo) e Antony Fasano (TE) está alinhado na extrema direita da linha. Tampa Bay está com sua defesa base 4 DLs, 3 LBs e Cover two man (dois safeties no fundo do campo e os recebedores nas extremidades marcados homem x homem).

A chave dessa jogada é o alinhamento Wright no slot que está sendo marcado em zona por um LB (em rotas curtas) e, provavelmente, e um Safety (S) em rotas médias ou longas. Este é um confronto favorável ao WR que é mais ágil e mais rápido que o LB, ele pode encontrar uma janela de lançamento antes que a marcação do S se aproxime.

A figura 2 apresenta o pós snap. A esquerda do ataque, o Center e os RBs trabalham como a se jogada fosse corrida para a direita. Acho que Mariota tinha a opção de entregar a bola ao McCluster para o jogo corrido, mas sinceramente, ele nem deve ter considerado a hipótese. O lado direito do ataque trabalha como se a jogada fosse um passe. Mariota reconhece a vantagem de Wright sobre o LB, bem como a enorme distância do S para a zona média e fixa sua leitura no LB.


A Figura 3 apresenta Mariota (que não tira o olho do LB marcando Wright) fingindo entregar a bola ao McCluster, Sankey funciona como um FB, enquanto Henri Douglas batalha contra o seu CB, ou seja, o lado direito está vendendo a corrida e deixando o fundo do campo na esquerda do nosso ataque livre. Enquanto Wright vai para o buraco que ele identificou no pré snap.


A figura 4 mostra a defesa empenhada em parar a corrida no lado esquerdo do nosso ataque enquanto Wrigth bate seu marcador. Detalhe: os Safeties estão muito longe da jogada (em uma primeira prá 10, contra um calouro, normalmente, lota-se o box, manda 5 ou 6 parar o jogo corrido no backfield do adversário e vive-se feliz).


Mariota faz o passe, a janela é pequena, mas dá a chance de Wright fazer a recepção (figura 6) livre de marcação e bater os Safeties na corrida para a endzone.


Abaixo o gif animado da jogada.


Essa é uma excelente jogada do ponto de vista técnico por conta do Matching up. A inversão de Wright e Fasano, um LB marcando um WR tão ágil é problema para defesa, da mesma forma que um CB marcando um TE é outro problema. A beleza deste alinhamento é que se o LB fosse deslocado para cobrir Fasano (na extremidade direita), pela estrutura defensiva de Tampa, seriam 6 defensores contra a corrida. O ataque, no momento, contava com a OL, os RBs e o QB (8 atletas) para correr a bola. Dificilmente essa jogada daria errado, por que se os alinhamentos fossem feitos corretamente pela defesa, Mariota poderia mudar para corrida (dos RBs ou dele mesmo) e ganhar um monte de jardas correndo contra um box enfraquecido.

A execução de todos os atletas é precisa, principalmente do Wright e Mariota que lêem perfeitamente o LB.

Espero que continuemos jogando rapidamente e com inteligência.

Go Titans!

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Os melhores na week 01

Torcedor, você pode rir à toa nesta semana. O Titans no último domingo deu um verdadeiro show. O oponente era fraco? Sim, mas vale lembrar que entramos em campo como zebras. Não me recordo de ter visto muitos analistas apostando em nossa vitória, ainda mais de goleada. Para se ter ideia do nosso massacre, em 2014, quando venceu apenas dois de quatorze jogos, o Bucs em apenas duas derrotas saiu de campo com um déficit superior aos 28 pontos. Somente no primeiro tempo enfiamos 35 a 7!!!

Listei os melhores durante a partida. Confira:

Melhores do Ataque:

Marcus Mariota, Kendall Wrigth e Taylor Lewan

Integrantes do grupo de quatro escolhas de primeira rodada do GM Ruston Webster, o trio acima é a nossa principal esperança ofensiva. Tenho certeza que o futuro da franquia depende do sucesso deles.

Em sua estreia na liga, Mariota deixou os gramados com quatro TDs, feito obtido apenas uma vez, e com um rating perfeito. Em dezesseis passes realizados – acertou 13 deles-, o havaino mostrou calma no pocket, precisão e quick release. Ele cometeu alguns erros bobos, mas vejam vocês, chamando uma jogada under center ele conseguiu induzir uma falta da DL!! Assim você mata a gente de orgulho, garoto!!!!!!!!!!!!

Wright cheira big plays. O atleta de Baylor é veloz, ágil e tem mãos muito seguras. Neste domingo, o nosso principal receiver pegou os quatro passes que foram em sua direção, sendo que 65 das 101 jardas obtidas vieram após o catch.

O nosso principal bloqueador se comportou como tal. Enfrentando uma DL com apenas um grande jogador, o DT Gerald McCoy, ele encerrou o duelo sem que permitisse qualquer hurrie, hit ou sack no Mariota. No jogo corrido ele também se saiu bem, apesar de que marcaram uma falta falta de bloqueio bem duvidosa.

Também gostei de: Harry Douglas e Delaine Walker

Melhores da Defesa:

Jurrell Casey, Zach Brown e Brian Orakpo

Jameis Winston se perdeu logo no início do jogo por uma razão: pressão. Desde que recebeu o seu primeiro snap, o first pick deste draft teve Orakpo e Casey em seu cangote. Juntos, eles produziram um sack, um hit e seis hurries. No lance da primeira interceptação, o QB do Bucs forçou um passe porque Orakpo havia batido com facilidade o LT. Caso se mantenham saudáveis, eles vão aparecer na lista dos melhores em quase todos os jogos.

Brown foi a grande surpresa da partida. Foram dele os dois tackles mais importantes do jogo, quando o Bucs estava no meio do campo próximo de diminuir uma vantagem de 21x7. Além de ter concluído a sua atuação sem nenhum missed tacke, o ILB se portou bem na cobertura de passe.


Também gostei de: Coty Sensabaugh e Blidi Wreh-Wilson

domingo, 13 de setembro de 2015

E lá vamos nós - Titans 42 x 14 Buccanears

Claro que esperávamos a vitória, mas nem o mais otimista torcedor do Marcus Mariota esperava um jogo tão bom do garoto! No primeiro tempo foram 4 TDs e nenhuma interceptação, o mais legal de ver foi como os técnicos adaptaram várias jogadas a estilo de Oregon ao ataque do Titans, vi read option, corridas designadas para o QB, passes com o QB em movimento, no hudle offense bem divertido o ataque (melhores momentos de Mariota: http://tinyurl.com/p4rvf38).
Bishop Sankey e Terrance West correram bem, os TEs foram razoavelmente bem. A OL foi bem, entretanto houveram algumas faltas que não deveriam ocorrer.
A defesa fez um jogo ok, mas ainda fico preocupado com a secundária, Cox tomou um baile do Jackson marcando longe, e Griffin errou tackles demais (como sempre). Parece que os técnicos vão trazer Griffin para perto da DL, não gosto pelo simples fato de ele não ser um bom tackleador, sendo assim, vamos é bem possível que tomemos bolas corridas por erros dele e do Brown, que perdeu tackles importantes também. Gostei da DL, mas se Williamson e Brown não segurarem fecharem os gaps que sobram ... Casey continua sendo o Casey, jogando no backfield adversário.
Mesmo assim, foi um bom jogo defensivo Coty Sensabaugh, substituindo Jason McCourty, interceptou Winston, levando para o TD; o novato OLB, Mount também interceptou, Morgan teve dois Sacks, Blackson e Casey tiveram um cada, a pressão foi boa e o ataque de Tampa nunca entrou no ritmo de jogo.
Outro ponto importante desse jogo foi a contribuição dos calouros: Marcus Mariota foi bem demais, Jeremiah Poutasi (o RT) foi bem, precisa melhorar o primeiro passo, mas não comprometeu, o FB Jalston Fowler foi bem também, abriu algumas avenidas para o Sankey e West, Angelo Balckson e Deiontrez Mount fizeram jogadas excelentes, DGB, entrou em uma jogada, terceira para 8 ou 10, fez a recepção, ganhou a primeira descida, mas a jogada voltou. Podemos ter uma boa classe de calouros e isso é muito, muito bom.
Em geral, foi um bom jogo e temos motivos para estarmos otimistas. por que, torcedor é prá isso e esse início foi bem promissor.
Semana que vem é em Cleveland, contra os Browns!
Go Titans!

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Titans em 2015 irá para o ...

Chegou a hora do momento mais idiota do jornalismo esportivo: as previsões. Para não soar ufanista demais, elaborei três análises, uma otimista, outra realista e infelizmente a famosa pessimista. Confira:

Otimista:

Titans vence dez jogos, consegue a última vaga no Wild Card e perde de forma honrosa

Há dez jogos vencíveis em nosso calendário? Sim, se você olhar bem é capaz até de achar mais, mas no melhor cenário possível, o Titans pode fechar o ano com a sua melhor campanha desde 2008. Venceremos Bucs (1), Browns (2), Bills (5), Dolphins (6), Panthers (10), Jaguars (11), Raiders (12), Jaguars (13), Jets (14) e Texans (16).   

Me incomodou muito o exercício de futurologia feito por jornalistas daqui e dos EUA. Quando decretaram o nosso fracasso em 2015, eles focaram apenas no nosso time, se esquecendo do nosso calendário. Acompanho o Titans há 15 anos e não me lembro de ver um schedule tão fácil como este. Além de enfrentarmos equipes ruins, a nossa sequência de jogos é um sonho. Depois de encararmos Bucs e Browns fora de casa, faremos quatro partidas em Nashiville. Já na segunda metade da temporada, a nossa equipe enfrentará em sequência Panthers, Jaguars, Raiders, Jaguars novamente e Jets. Sonho (2).

Realista:

Titans vence seis jogos, fecha o ano com uma boa escolha no draft e os calouros Mariota e Dorial Green-Beckham impressionam.

Os torcedores de todos os times da liga choram no mínimo umas três derrotas ao final de cada temporada. O Titans mesmo deveria ter derrotado Browns, Redskins e Jets em 2014, o que deixaria o time com um recorde de 5-11, porém isso não ocorreu por uma série de fatores. Por isso mesmo, acho que não vamos fechar o ano com um recorde positivo. Ainda temos um grupo jovem e que está conhecendo um esquema defensivo diferente. Faltam playmakers em ambos os lados e isso pesa nos famosos “jogos apertados”.

Este ano, venceremos Bucs (1), Bills (5), Panthers (10), Raiders (12), Jaguars (13) e Jets (14).

Pessimista:

Titans vence apenas três jogos, Mariota não consegue deslanchar e a defesa volta a dar vexame

Chegamos ao cenário desenhado pela maioria dos analistas que acompanham a NFL, não o Titans. Vencer apenas três de dezesseis jogos é péssimo, e certamente significará o fim da era Ken Whisenhunt.

Este ano, venceremos Bucs (1), Raiders (12) e Jaguars (13). 

sábado, 5 de setembro de 2015

Veja quem foi destaque na “importantíssima” pré-temporada

É até difícil de acreditar, mas estamos a 8 dias da estreia do Titans na temporada regular 2015. Nas últimas quatro semanas tivemos um pequeno gostinho do que virá nos próximos quatro meses, ou cinco, caso a equipe retorne aos playoffs. Veja quem se saiu melhor nas quatro partidas que o time fez na pré-temporada:

MELHORES:

Marcus Mariota, QB

Apesar de toda a pressão por parte da torcida e da imprensa, Marcus Mariota tirou de letra o trainning camp e os jogos da pré-temporada. Logo em sua estreia com o Titans ele lançou uma INT e sofreu um fumble, algo que ainda não havia acontecido em mais de dez treinos. Quando todos imaginavam que ele iria sucumbir, o garoto passou a jogar melhor e terminou as quatro partidas amistosas com um TD bem longo. É possível dizer que até o mais pessimista dos torcedores ficou bastante feliz com o desempenho do camisa 8. A máxima treino é treino é treino, jogo é jogo tem sua lógica, mas, convenhamos, sempre é bom ver o seu QB jogando bem. Sem sombras de dúvida estamos falando do destaque do time na pré-temporada.

Kendall Wright, WR

Estou tão confiante com o desempenho do Kendall em 2015 que o escolhi em todos os fantasys que participei. Em poucos snaps na pré-temporada, o WR1 conseguiu mostrar que está mais confortável com o esquema do Whiz e que segue com a mesma agilidade de anos anteriores. Podem esperar a segunda temporada dele com no mínimo mil jardas aéreas.

Edge Rushers

A dupla Orakpo e Morgan é muito boa. Mesmo jogando pouco, os dois OLB mostraram que vão infernizar os QBs adversários. O mais importante foi ver como o Orakpo complementa Morgan, que é ótimo na cobertura e bastante mediano contra o jogo terrestre. Caso fiquem saudáveis, acho que vão conseguir no mínimo 18 sacks este ano.

Outros destaques: Al Woods, Taylor Lewan, David Cobb, Avery Williamson e Perrish Cox

Piores:

Andy Levitre

Quando você fala dos piores é inevitável incluir o nome de Andy Levitre. Péssimo contra o passe e a corrida, o OG já nem integra mais o elenco do time. Por um daqueles mistérios da humanidade, o Falcons conseguiu mandar para Tennessee uma 6ª escolha no draft por um jogador que seria cortado em menos de três dias.

Justin Hunter

Para completar uma off season terrível, em que chegou até a ser preso, Hunter passou quase em branco na pré-temporada. Se no ano passado a expectativa era que ele se tornasse uma estrela, hoje torço apenas para que ele não “drope” mais de um passe por jogo.

Zach Brown

O Zach não foi um desastre completo, mas entrou na lista por conta da partida em Kasas City, quando ele perdeu diversos tackles que comprometeram a equipe. No jogo seguinte, o ILB ficou em campo por muito tempo e se redimiu, mas mesmo assim não dá para apagar da mente aquele desempenho terrível.


Outras decepções: Coty Sensabaugh, Hakeem Nicks, Brian Schwenke e Bishop Sankey